O príncipe Harry disse que esperava ainda servir à rainha Elizabeth II, sua avó, ao comentar, na tarde de hoje, a decisão do Palácio de Buckingham de não tê-lo mais como representante oficial. Foi a primeira manifestação pública de Harry desde que a monarca divulgou que ele e Meghan Markle não poderão mais utilizar os títulos de “suas altezas reais”.

“Nossa esperança era continuar servindo à rainha, a comunidade e minhas associações militares, mas sem financiamento público. Infelizmente, isso não foi possível. Aceitei, sabendo que isso não muda quem eu sou ou com o que estou comprometido. Espero que entendam o que aconteceu, que eu estou afastando minha família de tudo que já conheci para dar um passo adiante no que espero que possa ser uma vida mais pacífica”, declarou ele nesta tarde.

O casal não mais receberá financiamento público para deveres reais, mantendo patrocínios e associações pessoais, e terá de devolver o dinheiro de contribuintes britânicos que foi usado para reformar a casa dos dois, em valor estimado de 2,4 milhões de libras.

“A decisão que tomei para que minha esposa e eu recuássemos não foi leve. Passamos por muitos meses de conversas depois de tantos anos de desafios”, disse ele, acrescentando: “O que quero esclarecer é que não fomos embora e certamente não estamos indo embora.”

Agora, os duques de Sussex devem dividir o tempo entre o Reino Unido e o Canadá, passando ainda mais tempo na América do Norte. Meghan voltou às terras canadenses para ficar com seu filho Archie no último final de semana.

O caso ficou conhecido como Megxit e teve enorme repercussão dentro e fora do Reino Unido, com um jornal canadense dizendo que os dois não são bem-vindos no país e com produtos com o termo Megxit sendo vendidos online.

Compartilhar