O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), fez um pronunciamento à imprensa nesta terça-feira (26).

O chefe do Executivo fluminense falou sobre a operação da Polícia Federal autorizada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) que o mesmo foi alvo na manhã de hoje (26).

Em determinado trecho do discurso, Witzel afirma que seu compromisso com a população do Rio continua e que ele irá combater o “fascismo” e a “ditadura” que, segundo ele, tenta se instalar no Brasil através do presidente Jair Bolsonaro.

“Continuarei lutando contra esse fascismo que está se instalando no país, contra essa ditadura da perseguição. Não permitirei infelizmente que esse presidente que eu ajudei a eleger se torne mais um ditador na América Latina”, declarou.

Witzel disse ainda que o inquérito contra ele possui narrativa fantasiosa, com a intenção de levar o ministro do STJ ao erro. Ele disse que os fatos são facilmente esclarecidos e que não havia necessidade da operação.

“Quero manifestar a minha absoluta indignação com o ato de violência que o Estado Democrático de Direito sofreu. Eu tenho todo respeito ao ministro Benedito, mas a narrativa que foi levada ao ministro é fantasiosa. Não vão conseguir colocar em mim o rótulo da corrupção”, finalizou.

Compartilhar