Em dois dias de feriados antecipados na capital baiana, 115 estabelecimentos no Bonfim, Brotas, Cosme de Farias, Liberdade, Lobato, Plataforma, Massaranduba e Uruguai, que estão com medidas restritivas mais rigorosas em decorrência da pandemia de coronavírus, foram interditados por atuar em desconformidade com o decreto municipal.

No total, entre segunda (25) e terça-feira (26), dias em que foram celebrados os feriados de Dois de Julho e São João, respectivamente, equipes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) fiscalizaram mais de 3.300 estabelecimentos.

Somente no bairro do Uruguai, foram fiscalizados 702 estabelecimentos, com 45 interdições. Em Massaranduba as equipes atuaram em 529 estabelecimentos, dos quais 49 foram interditados.

Em Cosme de Farias, a fiscalização realizou 303 vistorias e fechou as portas de seis estabelecimentos. Já em Brotas foram fiscalizados 509 estabelecimentos, com apenas uma interdição.

Desde o dia 11 de maio, quando os primeiros bairros de Salvador passaram por medidas mais duras para controlar a propagação do coronavírus, as equipes da prefeitura fiscalizaram 14.247 estabelecimentos, sendo que 815 foram interditados.

Por determinação da prefeitura, apenas serviços considerados essenciais, como clínicas, farmácias, mercados, agências bancárias e lotéricas, podem funcionar nos bairros afetados pelas medidas restritivas mais rigorosas. Na última terça-feira (26), o prefeito ACM Neto anunciou que o Bonfim deixou a relação das regiões com limitações impostas ao comércio, enquanto Periperi passa a integrar a lista a partir de quinta-feira (28).

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria de Saúde do estado (Sesab), Salvador tem 9.094 casos confirmados de coronavírus, com 368 mortes em decorrência da doença.

Compartilhar