Mundialmente denominado como o Rei do Rock, Elvis Presley foi um dos pioneiros do Rock N Roll. Quarenta e três anos após sua morte, Presley ainda é um dos artistas com maior número de hits nas paradas mundiais, sendo também o artista solo mais vendido na história da música, com 1 Bilhão de álbuns vendidos em todo o mundo. Elvis Presley foi um artista popular, um homem – desde sempre – a frente do seu tempo. A década de 70 prefigurou para Elvis um alcance vocal incomparável, tido pela crítica mundial como a voz mais bela de todos os tempos, tornou-se um dos maiores ícones da cultura popular mundial do século XX. Foi efetivamente em julho de 1954 que Elvis iniciou sua carreira profissional, no dia 5 de julho de 1954, considerado o marco zero do Rock. Alguns dos discos de maiores sucessos do artista são:

Elvis Presley (1956), esse foi o seu álbum de estreia que impulsionou a sua carreira e imortalizou sua voz em canções populares da época, as músicas: Blue Suede Shoes, Counting On You, Just Because e Blue Moon são alguns dos destaques que levaram o disco ao número 1 nas paradas musicais.

Elvis (também conhecido como Elvis N°2), lançado em Outubro de 1956, o álbum passou quatro semanas na primeira posição na Billboard. Presley foi o primeiro artista a conseguir o feito de dois álbuns alcançarem o número 1 no mesmo ano. O disco passaria cinco semanas no primeiro lugar total contando com os sucessos: Love Me, Long Tall Sally, Paralyzed e Do You Think I Fell.

Elvis Is Back!(1960), liderou a parada de álbuns do Reino Unido (Elvis Presley serviu o exército de 24 de Março de 1958 a 2 de Março de 1960), a revista Billboard disse: “Elvis está de volta e cantando melhor do que nunca no estilo Rock N Roll que ele tornou famoso”. As canções: Fever, I Will Be Home Again, The Girl Of My Best Friend e It Feels So Right se tornaram sucessos garantidos.

How Great Thou Art(1967), esse disco surpreendeu o mundo, gradativamente, transformou-se em um grande sucesso de crítica e público; sendo premiado com um honroso Grammy, o Oscar da música.

On Stage(1970), pela primeira vez no mundo, um artista prescindia de seu nome na capa – no original.

Today(1975) e Promised Land(1975), dois dos melhores discos de Elvis na década de 70.

No ano de 1956, Elvis tornou-se uma sensação internacional. Com um som e estilo que, uníssonos, sintetizavam suas diversas influências, ameaçavam a sociedade conservadora e repressiva da época e desafiava os preconceitos múltiplos daqueles idos. Elvis fundou uma nova era e estética em música e cultura populares, consideradas, hoje, “Cults” e primordiais, mundialmente. Suas canções e álbuns transformaram-se em enormes sucessos e alavancaram vendas e recordes em todo o mundo. Elvis tornou-se o primeiro Mega-Star da música popular, inclusive em termos de marketing.

 

Muitos postulam que essa revolução chamada Rock da qual Elvis foi emblemático, teria sido a última grande revolução cultural do século XX; já que, as bandas, cantores e compositores que surgiram nas décadas seguintes fazendo muito sucesso, foram influenciados, de alguma maneira, direta ou indiretamente por Elvis, o que pode ser considerado verdade. Muitos de seus admiradores postulam que somente o seu talento e perseverança o mantiveram “vivo” até os dias atuais. Suas apresentações televisivas quebraram todos os recordes de audiência, além das inevitáveis polêmicas geradas por suas performances explosivas.

Em 1970 foi lançado o álbum e documentário That’s The Way It Is, um documentário que retrata os espetáculos, ensaios e bastidores de Elvis Presley no festival de verão em Las Vegas no ano de 1970 e um dos momentos mais emblemáticos da carreira do cantor. Foi o primeiro filme não dramático de Elvis desde o início de sua carreira em 1956 e marcou o retorno dele aos palcos após anos trabalhando apenas no cinema.

No ano de 1972 é lançado o segundo documentário de Elvis Presley, Elvis On Tour, o documentário recebeu um Globo de Ouro. Ainda no ano de 1972 Elvis apresentou quatro mega espetáculos em New York no lendário Madison Square Garden. Novos recordes foram quebrados, de público e arrecadação. Grandes celebridades estiveram presentes aos shows, nomes como: Eric Clapton, John Lennon e David Bowie marcaram presença.

Em 14 de janeiro de 1973, apesar de estar mergulhado em problemas pessoais e de saúde, mas no auge como artista, Elvis Presley realizou o primeiro show via satélite do mundo, transmitido ao vivo, para muitos países e, posteriormente para quase todo o planeta. O especial Aloha From Hawaii, foi assistido por aproximadamente 1 Bilhão de telespectadores em todo o mundo. Nos EUA, sucesso estrondoso, foi ao ar em Abril de 1973, tendo recebido o seguinte comentário do jornal The New York Times: “Elvis superou sua própria lenda!”.

Em 1974 realizou shows históricos em Los Angeles sendo prestigiado por artistas e bandas das novas gerações, então no auge, como um eufórico e entusiasmando Led Zeppelin.

No dia 26 de junho de 1977 Elvis fez seu último show, em Indianapolis. A morte de Elvis Aaron Presley no dia 16 de agosto de 1977, causada por colapso fulminante associado à disfunção cardíaca, surpreendeu o mundo, provocando comoção como poucas vezes fora vista em nossa cultura.

Em 1986, Elvis entrou para o Hall da Fama do Rock, na categoria Sócio – Fundador, nas décadas seguintes ainda entrou para o Hall da Fama do Rockabilly, do Country e da Música Britânica. No ano de 2006, inicialmente pensado para dezembro, o programa especial Elvis In Concert foi levado ao ar em Outubro e registrou uma das maiores audiências da história da rede americana CBS, emocionou um mundo saudoso e agradecido.

Elvis, ao contrário de nomes como Beatles e Michael Jackson nunca dispôs da companhia de grandes produtores musicais, os produtores de Elvis são avaliados como regulares e em alguns momentos como de bom nível, mas nada comparado aos mega produtores que auxiliaram intensamente a carreira de nomes como Beatles e Michael Jackson. Elvis é reputado como um instrumentista virtuoso.

Algumas músicas e regravações de muito sucesso do artista são: Jailhouse Rock, Hound Dog, That’s All Right, Burning Love, It’s Now Or Never, Something, Suspicious Minds, Can’t Help Falling In Love, Always On My Mind, My Way e Unchained Melody.

“Quando criança, eu era um sonhador. Lia revistas em quadrinhos e era o herói dos quadrinhos. Assistia a filmes e era o herói dos filmes. Então todos os meus sonhos viraram realidade mil vezes”

Compartilhar