O deputado federal, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, e a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) estão entre os alvos de investigação que apura ataques à Justiça Eleitoral. As informações são do Estadão, divulgadas neste domingo, 22. O inquérito, que estava com o Ministério Público Federal (MPF), foi enviado à Procuradoria Geral da República (PGR), já que envolve deputados, sendo assim, o foro privilegiado.

Além de Eduardo e Carla, de acordo com o jornal, Bia Kicis (PSL-DF) e Filipe Barros (PSL-PR) também fazem parte da apuração. A ação foi iniciada por representação feita pela ONG SaferNet Brasil.

A entidade tem colaboração formal com o MPF para monitorar a desinformação nas eleições. Ao analisar os documentos enviados pela SaferNet, o vice-procurador-geral eleitoral, Renato Brill de Góes, encontrou publicações dos quatro deputados. O inquérito foi encaminhado nesta sexta-feira, 20, ao procurador-geral da República, Augusto Aras, de acordo com o Estadão.

No domingo, 15, dia do primeiro turno das eleições, houve vazamento de dados de servidores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Além disso, o site do tribunal sofreu ataque que sobrecarregou e dificultou a consulta aos serviços ali disponíveis.

Compartilhar