O presidente da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (AL-BA), Marcelo Nilo, fez mais uma das suas. Nesta terça-feira (3), em entrevista ao apresentador Zé Eduardo, na Rádio Metrópole, o novo presidente do PSL estadual cometeu uma declaração que causa polêmica e levanta mais suspeitas sobre seu autoritarismo no comando da Casa.

14326_Marcelo-Nilo

Ao criticar o deputado Soldado Prisco (PSDB) por ter votado contra o projeto que criou três novos cargos e aumentou os custos anuais da Assembleia em até R$ 463 mil, Nilo primeiro disse “não aceitar” que colegas agissem daquela maneira, mas depois, pasmem, afirmou que “até liberou” os oposicionistas a votarem contra o projeto. “Não aceito sob hipótese alguma que as pessoas queiram se utilizar do parlamento… Uma ação administrativa, aprovada por unanimidade na mesa… Os deputados de oposição inclusive foram ao meu gabinete, conversaram comigo, eu expliquei… Até liberei eles se eles quisessem votar contrário, que não tinha problema”, declarou.

Em tempo: na mesma entrevista à Metrópole, Nilo acusa Prisco de ter discursado em plenário de maneira oportunista, “jogando para a plateia” ao se posicionar contra o aumento de gastos. Nos registros da Assembleia Legislativa, porém, não há nenhum discurso de Prisco na terça ou na quarta-feira (2), após a votação do custoso projeto.

Compartilhar