Os protestos em torno da morte de George Floyd reacenderam uma questão ainda aberta na NFL. Nas redes sociais, muitos se perguntaram se atletas voltarão a repetir o ato de Colin Kaepernick de se ajoelhar em meio ao hino americano como forma de repúdio ao racismo. Quarterback do New Orleans Saints, Drews Brees disse não apoiar a atitude. Em entrevista ao site “Yahoo Finance”, o jogador de 41 anos afirmou ser contrário à manifestação.

– Eu nunca vou concordar com alguém que desrespeite a bandeira dos Estados Unidos da América ou do nosso país. Deixe-me apenas dizer o que vejo ou o que sinto quando o hino nacional é tocado e quando olho a bandeira dos Estados Unidos. Eu imagino meus dois avós, que lutaram por este país durante a Segunda Guerra Mundial, um no Exército e um na Marine Corp. Ambos arriscando suas vidas para proteger nosso país e tentar tornar nosso país e este mundo um lugar melhor. Então, toda vez que fico com a mão sobre o coração, olhando para a bandeira e cantando o hino nacional, é sobre isso que penso. E, em muitos casos, isso me leva às lágrimas, pensando em tudo o que foi sacrificado – afirmou o jogador.

Drew Brees também citou a luta de militares para explicar sua posição.

– Não apenas os militares, mas também os movimentos dos direitos civis dos anos 60, e tudo o que foi suportado por tantas pessoas até esse momento. E está tudo bem com o nosso país agora? Não, não é. Ainda temos um longo caminho a percorrer. Mas acho que o que você faz ali, mostrando respeito pela bandeira com a mão sobre o coração, é que mostra unidade. Isso mostra que estamos juntos nisso, todos podemos fazer melhor e que todos fazemos parte da solução.

Compartilhar