Empresários do ramo de autoescolas se reuniram na manhã desta quinta-feira (25), em Salvador, para a realização de uma carreata entre a Avenida Tancredo Neves e a sede do Hemoba, na Avenida Vasco da Gama.

A manifestação tem como objetivo reforçar a campanha por doação de sangue e reivindicar apoio para a categoria, que está com as atividades suspensas desde o início da pandemia na capital baiana, no mês de março.

“Estamos com cerca de 400 autoescolas fechadas há mais de 90 dias, sem nenhum tipo de assistência. Estamos chamando a atenção do poder público para essa situação, que é muito complicada. Estamos com mais de sete mil trabalhadores parados no estado”, disse o presidente do Sindicato das Autoescolas e Centros de Formação de Condutores da Bahia (Sindauto), Wellington de Oliveira.

“Muitas autoescolas não vão conseguir retornar, pela dificuldade, burocracia para conseguir recursos. Se fala tanto sobre linhas de crédito, mas não se consegue nenhuma. A verdade é essa. Queremos chamar a atenção do poder público para essa ajuda, esse pedido de socorro. Como tantas outras categorias”, completou.

No Hemoba, 25 empresários do ramo realização a doação de sangue. Além do resultado solidário, Wellington de Oliveira espera chamar a atenção das autoridades públicas. Ele afirma que as autoescolas estão preparadas para atuar em novo formato, com atendimento por agendamento e teleaulas para o conteúdo teórico.

“Hoje o processo de autoescola é agendado. Podemos fazer matrícula com agendamento, os exames teóricos e práticos são com agendamento. As aulas práticas são com aluno e instrutor, não tem aglomeração. A parte teórica, depois da publicação da portaria 202 do Detran-BA, permite que seja feita por teleaula. Estamos com a plataforma pronta, aguardando o Detran realizar a interligação do sistema”, explica.

Em abril, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) publicou uma deliberação que permite a realização do curso teórico remoto (teleaula). A medida foi regulamentada pelo Detran-BA no último mês de maio. De acordo com a medida, o aluno pode cumprir a carga horária de 45h de aulas teóricas por meio de aulas ministradas ao vivo e transmitidas por plataforma tecnológica e acompanhada por celular, notebook ou tablet. A alternativa é opcional e válida enquanto durar a pandemia.

Carreata de empresários de autoescolas, em Salvador — Foto: Sérgio Pinheiro / TV Bahia

Carreata de empresários de autoescolas, em Salvador — Foto: Sérgio Pinheiro / TV Bahia

O presidente do Sindauto diz que a categoria elaborou um plano de ação para a reabertura gradual do Sistema de Habilitação, com protocolo de segurança específico, como uso de máscaras, disponibilização de álcool gel para instrutores e alunos e higienização dos veículos entre cada aula prática. Ele destaca que as aulas práticas são individuais e oferecem risco reduzido.

“No último levantamento que fizemos, tínhamos mais de 35 mil pessoas que tiveram o processo interrompido. Estamos há mais de 90 dias impedidos de fazer nossa atividade. É um reflexo muito grande. Não é só abrir a autoescola por abrir. Tem a questão das Ciretrans, os SAC’s, a venda do laudo, exames teóricos e práticos. Processo de Primeira Habilitação ainda está parado. Só abriu para renovação, as clínicas também só atendem a parte de renovação”, se queixou.

Segundo a Transalvador, a carreata não provoca reflexos no trânsito da região.

Compartilhar