O presidente americano Donald Trump, o vice-presidente Mike Pence e o secretário da Câmara e do Desenvolvimento Urbano Ben Carson conversaram com centenas de pastores por uma teleconferência na tarde de sexta-feira (20), especificamente pedindo aos líderes religiosos que orassem pela “resistência” e pela “saúde dos EUA”, informou a CBN News.

Trabalho vital da Igreja

Mike Pence elogiou os pastores pelo trabalho vital que as igrejas estão fazendo ao longo desta provação e o secretário Ben Carson encorajou o grupo dizendo: “Deus ainda tem a mão sobre esta nação”.

O Conselho de Pesquisa da Família (Family Research Council – FRC) organizou a ligação de uma hora e seu presidente, Tony Perkins, a liderou. A teleconferência foi um tempo de orações por Trump, Pence e Carson, mas também com discussões sobre as maneiras pelas quais as igrejas podem se reunir de maneira criativa durante esse período, incluindo a realização de cultos online.

Trump, Pence e Carson incentivaram as igrejas a cumprir as diretrizes federais durante este período crítico de 15 dias. Durante a ligação, Tony Perkins orou pelo presidente, o pastor Carter Conlon, da Times Square Church, em Nova York, orou pelo vice-presidente Pence e Paula White orou pelo secretário Ben Carson. O áudio da chamada será enviado a 15.000 pastores em todo o país, como parte do ministério “Watchmen On The Wall” (Atalaias Sobre O Muro) da FRC.

O vice-presidente Mike Pence disse aos pastores que ele foi encorajado por ver tantas igrejas cumprirem as diretrizes do governo federal e pediu aos pastores que enviassem o relatório de conselhos e dicas de duas páginas da administração a todos os membros de sua igreja. Ele ficou especialmente agradecido por ver muitas igrejas se mobilizando para administrar bancos de alimentos: “Estão fazendo uma enorme diferença, enorme!”, disse Pence aos líderes religiosos. “Vocês estão mostrando a grandeza do caráter da América.”

Ele apreciou as escolhas das igrejas, com muita cautela, em suspender os cultos e apreciou o sacrifício financeiro envolvido, considerando que eles conduzem suas operações com base nos dízimos e nas ofertas. Pence disse que faria sua parte para tentar incentivar os americanos a continuarem ofertando e dizimando, apesar de não estarem nos cultos das manhã de domingo. “Ajudaremos a ecoar isso em nossas comunicações”, disse Pence aos pastores. “Faremos um lembrete e encorajamento gentil para os americanos continuarem apoiando esses ministérios, mesmo que não estejam sentados nos bancos da igreja na manhã de domingo”. De fato, após a teleconferência de sexta-feira (20), Pence fez exatamente isso no comunicado diário do governo federal sobre o coronavírus chinês de sábado.

Mike Pence, que foi encarregado de liderar a força-tarefa do vírus chinês, encorajou os pastores com um versículo da Bíblia que se destacou na semana passada, depois de ouvi-lo durante um sermão que assistia online em sua igreja. Em Lamentações 3:22 e 23 que diz: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as Suas misericórdias não têm fim; novas são cada manhã; grande é a Tua fidelidade”.

Depois que Trump e Pence falaram, o secretário da Câmara e do Desenvolvimento Urbano, Ben Carson, se dirigiu aos pastores. Ele disse a eles que Donald Trump precisa de oração agora porque: “O presidente está sob ataque 24 horas por dia”. Ele então deu crédito a Deus, apontando como as coisas poderiam ser ainda piores economicamente agora, se não fosse por uma grande economia. “E se isso não tivesse acontecido durante um período em que estávamos experimentando enormes ganhos econômicos?” Carson disse aos pastores. “E se isso acontecesse durante o período de depressão econômica? Vocês podem imaginar o que teria acontecido? Deus é misericordioso … Vamos orar pela intervenção de Deus e mostrar Seu poder visível.”

Compartilhar