Por MoneyLab

2020 tem sido um ano turbulento para o mundo inteiro, e no mercado de câmbio a situação não é diferente. 

Ainda em meio ao cenário pandêmico causado pela Covid-19, o dólar norte-americano tem operado acima da marca dos R$ 5,40, o que, para alguns analistas, pode servir como uma oportunidade para quem deseja operar no mercado futuro da moeda.

“O dólar está operando na faixa de R$ 5,40 a R$ 5,60 e não vejo a moeda caindo abaixo dos R$5,00 tão cedo. Ele encontrou um patamar bom, o Banco Central parece estar confortável com a situação e isso faz com que os minicontratos futuros de dólar sejam o instrumento com mais liquidez da B3”, afirma Wilson Neto, analista da Clear Corretora.

Basicamente, o minicontrato de dólar representa uma fração do contrato futuro tradicional de dólar — que, por sua vez, são acordos de compra e venda da moeda negociados no mercado com uma data de vencimento pré-determinada. 

Esse tipo de ativo é bastante manejado em operações de day trade, nas quais o o objetivo é a obtenção de ganhos com as oscilações de preço de ativos financeiros ao longo de um dia. 

Segundo Neto, uma das grandes vantagens do day trade com minicontratos futuros de dólar é que esses ativos precificam as movimentações do mercado antes mesmo de elas acontecerem, o que é um benefício dado o cenário atual.

“O bom dos minicontratos é que você pode operar vendido, ou seja, vender esses ativos sem necessariamente ter eles na carteira. Então, se o operador avaliar que a moeda está barata, ele pode simplesmente comprar. Mas, caso ele avalie que a moeda está cara, ele pode vender. Isso gera uma oportunidade de ganho tanto na alta quanto na baixa”, explica Neto.

Nesta semana, analista preparou uma série gratuita sobre day trade com minicontratos de dólar. Denominada “Semana dos Vencedores”, a série conta com 4 episódios que prometem dar o caminho das pedras para aqueles que desejam iniciar no mundo de day trade.

“É importante entender bem o mercado antes de apostar nas operações com minicontratos, já que esse mercado é bastante explorado por grandes players, como bancos e grandes investidores”, explica o analista. “É preciso estudar para entender como funciona essa alavancagem e como você pode usar isso a seu favor”, afirma Neto.

O analista ainda lembra que rendimentos passados não são garantia de ganhos futuros.

“Esse é um mercado para quem tem um perfil mais agressivo, já que estamos falando de tomada de risco por alavancagem. É bastante importante saber disso, que há risco envolvido nas operações”.

Compartilhar