O reitor da Universidade Federal da Bahia (Ufba), João Carlos Salles, diz que as universidades federais passam por momento de “intranquilidade” diante de incertezas do governo federal com o orçamento das instituições.

Em entrevista na Rádio A TARDE FM, na manhã desta quarta-feira, 19, Salles contou que apenas 60% do orçamento para 2020 foi aprovado até o momento.

“Dificuldade é a palavra. Temos tido intranquilidade. Agora, o orçamento foi aprovado de forma inédita: 60% está garantido, mas 40% está dependente de uma aprovação do Parlamento. Se não for liberado, a universidade para”, ressaltou.

O reitor lembrou os efeitos do bloqueio orçamentário realizado no ano passado pelo governo Jair Bolsonaro, a exemplo de demissões e redução do pessoal terceirizado, considerado “força essencial à universidade”.

“No geral, há uma defasagem de orçamento. Essa defasagem se agrava com a posiçao do governo de ter bloqueado quando não precisava. Isso gerou uma grande dificuldade. No ano passado, deixou de executar mais de 1 bilhão de reais, quando muitas universidades precisavam”, exemplificou Salles, que preside a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

Compartilhar