Os debates dos prefeituráveis têm dado o que falar em Salvador, justamente por não estarem acontecendo. Depois da TV Itapoan, a TV Bahia também cancelou a atividade, utilizando o argumento de “preocupação com as normas sanitárias”. A vereadora Aladilce questionou a atitude das emissoras e criticou as falas do prefeito ACM Neto sobre o caso.

“É um absurdo. O prefeito está tergiversando, e usando argumentos muito frágeis para esconder uma posição de cancelamento que evita expor a fragilidade do seu candidato” opina Aladilce, referindo-se à Bruno Reis. Em entrevista à imprensa, Neto declarou que “não tem que achar nada” sobre o cancelamento dos debates, argumentando que os modelos são chatos e que a não ocorrência é de direito das emissoras.

“Ouvir um prefeito, presidente de um partido, dizer que não tem nada com isso, é de horrorizar. A democracia é desfavorecida com opiniões como essas” pontuou a também Ouvidora da Câmara Municipal. “Debates promovem escolhas mais acertadas da população, e todos que somos de partidos políticos temos a obrigação de criar as condições para que o eleitorado faça as escolhas corretas, e de promover um espaço de debate e amadurecimento político”, acrescenta.

Aladilce ainda indagou o porquê de não acontecer um outro modelo de debate. “Se é por causa do coronavírus, as emissoras precisam utilizar os protocolos de forma rigorosa, como foi utilizado no debate da Band. E se a questão é mais segurança, por que não fazer um debate virtual? Facilita ainda mais para o cumprimento de tempo por exemplo. Para mim, essa é uma desculpa esfarrapada”, critica.

“A posição do nosso prefeito é de cercear o debate e impor ao eleitorado um candidato que se vale de privilégios, pois é ligado à gestão atual. O debate ia mostrar as reais condições dele ser prefeito ou não à população . Tirando as obras e as inaugurações, é um candidato que não convence a ninguém”, finaliza.

Compartilhar