A declaração do comandante da 15ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM/Itapuã), tenente-coronel Eurico Filho Silva Costa, na sexta-feira, 10, causou mal-estar na corporação e foi considerada inadequada. Durante entrevista, ele disse que ua turista de 19 anos, vítima de estupro no bairro de Itapuã, em Salvador, “assumiu o risco” ao sair durante a noite na região onde sofreu a violência sexual. O caso aconteceu na noite da última terça, 7. Os suspeitos de envolvimento no cirme foram presos.

As palavras do oficial tiveram grande repercussão negativa. Por meio de nota, o Comando Geral da Polícia Militar da Bahia (PM-BA) informou que as declarações do comandante estão sendo tratadas internamente. O comunicado ressalta também que, em nenhuma circunstância, uma vítima deve ser cupabilizada, além lamentar profundamente o crime cometido contra o casal de turistas e se solidarizar com as vítimas (leia íntegra da nota abaixo).

Conforme nota da Secretaria de Comunicacão Social, na tarde de sexta, o comandante pediu desculpas pelas declarações: “Peço desculpas se fui mal interpretado pelas minhas declarações. Como policial militar, nunca defendi culpabilização de vítimas. Não seria diferente no caso absurdo envolvendo turistas em Salvador. Meu respeito e total solidariedade às vítimas de uma cruel violência contra as mulheres. Continuarei na trincheira em nome da segurança da sociedade e sendo intolerante contra qualquer tipo de violência”.

 

CONFIRA NOTA NA ÍNTEGRA DA PM-BA:
O Comando Geral da Polícia Militar da Bahia (PMBA) informa que as declarações do comandante da 15ª CIPM já estão sendo tratadas internamente e ressalta que, em nenhuma circunstância, uma vítima deve ser culpabilizada. A Polícia Militar da Bahia tem como missão cuidar das pessoas e, para isso, realiza o policiamento ostensivo com o objetivo de prevenir o cometimento de crimes. 

A PMBA lamenta profundamente o crime cometido contra o casal de turistas e se solidariza com as vítimas, bem como reafirma o compromisso de fazer o melhor sempre para garantir a segurança de baianos e turistas. 

Compartilhar