O número de infectados pelo coronavírus no bairro de Pernambués caiu e é possível que a região passe por uma flexibilização nesse final de semana, afirmou nesta quinta-feira (27) o prefeito ACM Neto, ao ser questionado sobre protestos de moradores pedindo a reabertura dos comércios. Manifestações contra ele não o abalam, afirmou. “Eu sou uma pessoa que sei lidar com pressão. Se tem alguém que foi pressionado nessa cidade na pandemia fui eu”.

“Prefeito, amanhã quando você anunciar os bairros pode ser que as medidas sejam ecerradas? Pode, mas não porque ninguém foi fazer passeata, fechar a rua, queimar pneu, foi pro meio da Paralela atrapalhar trânsito. Se for, a decisão será tomada exclusivamente com base nos números”, afirmou. ” No teste rápido houve uma redução lá em Pernambués. Isso talvez seja a senha para que a gente possa liberar a partir do final de semana. Mas não será a pressão”, garantiu.

Neto disse conhecer Pernambués “como a palma da mão”. Lembrou que é um dos bairros com mais casos de covid-19 em Salvador. “Eu caminho por lá há quase 20 anos, e as pessoas lá sabem disso. É um bairro que tenho estima, carinho, amigos. Tõ fazendo isso de graça? Se não fosse necessário, se a medida fosse evitável… Mas foi inevitável”, explicou.

Ele afirmou que as decisões serão sempre tomadas tendo em vista a saúde. “Nem no Nordeste, nem em Pernambués, nem na Vitória, na Graça, nem em lugar nenhum dessa cidade” as escolhas foram feitas com base em pressão, disse o prefeito. “Não vai ser agora que a gente vai agir com pressão”.

Pernambués passa por medidas de restrição contra a covid-19. Os moradores da região pediram uma mudança similar à que aconteceu no Nordeste de Amaralina, sob restrições há seis semanas, em que a reabertura dos comércios foi autorizada em horário reduzido.

Compartilhar