O relator da CPMI das Fake News no Congresso, o senador Ângelo Coronel (PSD), negou o pedido da Polícia Federal para ter acesso aos documentos das investigações. De acordo com entrevista dada ao jornal Folha de S.Paulo na última quarta-feira, 6, o senador julgou o pedido como “muito genérico” e solicitará que a PF faça uma nova petição, detalhando quais serão os documentos de interesse.

“Eles disseram que querem todo o material relacionado a ataques contra instituições democráticas. Há muita coisa que a gente produziu, um calhamaço enorme. Não dá para pedir tudo assim. Estou escrevendo pedindo que façam um novo pedido especificando o que desejam receber”, afirmou o senador.

O pedido vem após o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP), ter disponibilizado dados que ligam o também deputado, e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) ao comando no esquema de ataques virtuais contra opositores do Governo Federal. Com os dados, a PF quer confirmar o vínculo dos IPs responsáveis com membros do governo para poder afirmar se deles partiram de fato ataques contra opositores de Jair Bolsonaro

Compartilhar