A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) recomendou que a Micareta de Feira fosse adiada por conta dos três casos confirmados do novo coronavírus na Bahia.

O evento, agendado para acontecer entre os dias 23 e 26 de abril, deve reunir até um milhão de pessoas em todos os dias de festa. Segundo a pasta, o adiamento tem como objetivo evitar que o vírus se espalhe e contamine novas pessoas. Apesar da recomendação, a decisão final será da prefeitura de Feira de Santana.

Em documento enviado ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP), a Sesab informou que, segundo a Análise de Cenários – Covid-19, o novo coronavírus possui capacidade de se decuplicar – ou seja, multiplicar o total de casos por 10x – a cada 7,2 dias.

Pedido do MP
Na segunda-feira, o Ministério Público do Estado da Bahia (MP) instaurou um processo administrativo para analisar se é prudente que a Micareta de Feira seja mantida. Nesta quinta, o órgão disse que só se manifestará após receber todos os relatórios solicitados.

O procedimento, instaurado pelo promotor Audo Rodrigues, solicita informações técnico-científicas da Secretaria de Saúde da cidade sobre as ações de combate ao coronavírus. Inicialmente, o procedimento é apenas para a coleta de informações.

Quando tiver em mãos os documentos solicitados ao órgão municipal, o MP decidirá se vai recomendar mudança na programação da Micareta de Feira.

São dois os documentos solicitados à pasta municipal. A SMS feirense deve enviar ao MP um plano de contingência e combate à doença e, depois, um segundo documento deve responder, através do parecer de profissionais capacitados, quais os riscos de contágio que um evento como a micareta oferece para a cidade.

Procurada, a prefeitura de Feira de Santana informou por meio de nota que “não há razão, neste momento, para uma decisão de cancelamento da Micareta 2020”. Segundo o Colbert Filho, em Feira de Santana “o Comitê Municipal de Acompanhamento das Ações de Controle ao Coronavírus tem obtido êxito em seu trabalho, desde que foi criado, na semana passada. Exames de familiares com as quais as duas mulheres infectadas mantiveram contato deram negativo, o que significa que o vírus não está em cadeia de transmissão neste Município”.

Ainda segundo o prefeito, é preciso aguardar, antes de se tomar uma decisão que impactaria fortemente na economia e nas expectativas de milhares de feirenses que esperam o ano inteiro pela Micareta. “Saúde à frente de tudo, essa é a prioridade. As portas estarão sempre abertas para a análise de fazer ou não a festa, o que dependerá do andamento desse controle do vírus em nossa cidade. Devemos ter muita cautela para não haver precipitações”.

Na última sexta-feira (6), o prefeito da cidade, Colbert Martins Filho, chegou a comentar que ‘seria precipitado’ pensar em qualquer alteração no calendário da micareta. Na ocasião, a prefeitura instalou um comitê especial para conduzir as ações de combate à doença.

Em nota, o gestor municipal afirmou que os casos na cidade estão sob controle. O gestor ressalta que o promotor não propôs o cancelamento da Micareta. “O promotor solicitou das secretarias Municipal e Estadual de Saúde informações sobre o risco de transmissão do coronavírus durante a festa. A resposta ainda não foi dada e o assunto será devidamente examinado pelos técnicos”, aponta.

Compartilhar