Por Hilza Cordeiro

Os casos de contaminação por coronavírus serão inevitáveis na Bahia. Em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (12), o secretário de Saúde do estado, Fábio Vilas Boas, afirmou que a situação pode atingir pico de casos em maio. Ainda segundo ele, a projeção  é de que os casos se multipliquem por 10 a cada semana.

O secretário explicou que, a partir de agora, após transmissão local, a identificação de ocorrências suspeitas e confirmadas será mais complicada.

“Estamos entrando em outra fase e, a partir de agora, começaremos a ter um número maior de casos no Brasil e vamos sair dessa fase que a gente consegue mapear os casos suspeitos de pessoas que vieram de países da Europa e Ásia”, explica o gestor.

A estratégia que a secretaria pretende adotar para evitar esse pico é incentivar o distanciamento social entre as pessoas para diluir a ocorrência inevitável de casos ao longo das semanas.

“Há duas possibilidades. Podemos ter milhares de casos na Bahia em uma semana ou ao longo de 20 semanas. A população vai de infectar, não tem como evitar. O nosso esforço será em diluir para derrubar o pico de ocorrências. O pico é péssimo para o sistema de saúde, não tem como dar conta”, esclarece.

A Sesab informou que, ao tomar conhecimento da ocorrência no casamento, acionou a equipe técnica do Núcleo Regional de Saúde do Sul da Bahia para fazer a investigação em parceira com a vigilância municipal para avaliar a situação de hóspedes, funcionários e demais convidados.

Compartilhar