A imprensa da Coreia do Norte divulgou nesta quarta-feira (26) imagens de Kim Jong-un presidindo uma reunião dedicada ao coronavírus e à chegada iminente de um tufão ao país, no momento em que o estado de saúde do dirigente alimenta todo tipo de especulações no exterior.

O serviço de inteligência sul-coreano afirmou que líder norte-coreano delegou parte de suas prerrogativas à irmã Kim Yo Jong devido ao “estresse”.

Um ex-assessor do falecido presidente sul-coreano Kim Dae-jung chegou a afirmar no Facebook que pensava que Kim estava em coma, mas sem apresentar qualquer prova.

Kim, no entanto, apareceu para presidir a importante reunião da comissão do Partido dos Trabalhadores, que teria acontecido na terça-feira (25), para abordar as maneiras de enfrentar a pandemia do novo coronavírus, informou a agência oficial KCNA.

A Coreia do Norte, que fechou rapidamente as fronteiras quando a Covid-19 iniciou a propagação na vizinha China, não confirmou nenhum caso de contágio em seu território. Uma epidemia seria desastrosa no país, com infraestruturas de saúde insuficientes.

Líder norte-coreano, Kim Jong-un, participa de reunião com integrantes do Partido dos Trabalhadores da Coreia em Pyongyang na terça-feira (25)  — Foto: AFP / KCNA via KNS

Líder norte-coreano, Kim Jong-un, participa de reunião com integrantes do Partido dos Trabalhadores da Coreia em Pyongyang na terça-feira (25) — Foto: AFP / KCNA via KNS

O jornal “Rodong Sinmun” publicou fotografias da reunião da comissão, que mostram Kim vestido de branco e discursando aos colaboradores. Em uma imagem ele parece estar fumando.

Kim admitiu “algumas lacunas” na prevenção e pediu medidas mais contundentes para remediar as “carências”, de acordo com a KCNA.

Em julho, Pyongyang ordenou o confinamento da cidade de Kaesong, próxima da fronteira com a Coreia do Sul, e afirmou que um desertor foi detido depois de entrar ilegalmente a partir do território sul-coreano e que ele era suspeito de ser positivo para o novo coronavírus. As restrições foram retiradas posteriormente e o possível caso de Covid-19 nunca foi confirmado.

A reunião presidida por Kim também abordou as medidas que devem ser adotadas para proteger a população e as colheitas da aproximação do tufão Bavi.

Rumores recorrentes

O estado de saúde do líder norte-coreano é um segredo de Estado muito bem guardado, em um país fechado e sem liberdade de imprensa. Os rumores sobre Kim são recorrentes e até os serviços de inteligência sul-coreanos se equivocam com frequência sobre a situação na Coreia do Norte.

Em abril, os alarmes voltaram a disparar quando Kim não fez aparições públicas por três semanas e nenhuma foto oficial do dirigente foi divulgada durante as celebrações do aniversário de nascimento de seu avô, Kim Il Sung, fundador do regime, uma data muito importante no calendário político norte-coreano.

Compartilhar