O jornalista Reginaldo Leme, comentarista de Fórmula 1 da TV Globo desde 1978, não vai mais trabalhar na emissora. Segundo o Yahoo, Leme teria comunicado a empresa de sua vontade nesta terça-feira. O Motorsport.com confirmou que Leme tomou tal decisão e apurou que o profissional ainda tinha mais um ano de contrato com a Globo.

O comentarista também teria anunciado que não vai trabalhar no GP de Abu Dhabi no próximo fim de semana, no encerramento do ano da F1. Assim, a última atuação de Leme no grupo fica por conta da etapa de Goiânia da Stock Car, no último domingo.

De acordo com o Yahoo, pessoas que leram o email do jornalista disseram que o tom foi um “misto de agradecimento e lamentação”. No GP do Brasil de F1, há alguns dias, Leme foi comentarista, como de praxe, além de fazer entradas ao vivo e entrevistar Lewis Hamilton.

A decisão do jornalista vem meses após ‘Regi’ ficar de fora do GP da China, o 1000º da história da F1, por problemas de saúde. Na ocasião, o Motorsport.com deu detalhes em primeira mão sobre a ausência do comentarista.

O departamento de comunicação da Globo confirmou ao Motorsport.com que Reginaldo Leme “não faz mais parte” da emissora e que o substituto para o GP de Abu Dhabi ainda não está definido.

A carreira de Reginaldo Leme
O comentarista é conhecido como parceiro de Galvão Bueno há muitos anos e, na ausência do narrador, analisava as corridas transmitidas pelo Grupo Globo ao lado de Luciano Burti e, na Stock Car, Sergio Maurício e Felipe Giaffone.

A trajetória de Leme na cobertura de F1 começou em 1972, no Estadão. O período na TV Globo começou em 1978. Foi na emissora que Regi cobriu, ao lado de Galvão, os títulos de Nelson Piquet e Ayrton Senna.

Compartilhar