Por Tamirys Machado

Com poucas pessoas, militantes do PT e integrantes da base aliada do governo federal se reuniram no início da noite desta sexta- feira (4) para defender o presidente Lula.

Deputados federais e estaduais, secretários, vereadores e militantes enfatizaram que o ato é a favor da democracia brasileira e consideraram a condução coercitiva feita pela Polícia Federal ao ex – presidente Lula na Operação Lava Jato como uma arbitrariedade e tentativa de golpe.

lula ato rio vermelho informa1Antes da manifestação, que correu de forma pacífica, um carro de som exibia o áudio da coletiva do ex-presidente Lula. Logo após, os políticos se pronunciaram convocando a juventude e os militantes para irem às ruas no dia 13 de março.

Neste dia também está marcado as manifestações contra o PT e a presidente Dilma, a ideia da base é responder a esses protestos.

Ao discursar a deputada federal Moema Gramacho disse “se é guerra que eles querem, é guerra que vão ter. Quem tá preparado?”, convocando a todos.

O ex-presidente Lula é suspeito de ser um dos beneficiários do dinheiro indevido de empreiteiras. A força-tarefa da PF investiga se dinheiro doado ao Instituto Lula e a empresa LILS, que seria de palestras do ex-presidente, por empreiteiras envolvidas no esquema de corrupção da Petrobras foi repassado indevidamente a empresas de parentes do ex-presidente Lula.

Assim, há indícios de um esquema de triangulação, onde as empreiteiras teriam doados valores ao Instituto Lula, e esses valores repassados ao ex-presidente ou empresas de seus familiares.

Compartilhar