São quatro jogos sem vencer e sem fazer gol, além da pior campanha como visitante na Série A com derrotas em todas as cinco partidas, nenhum gol marcado e 10 sofridos. Mudar não é apenas uma alternativa para o Bahia, nesta quinta-feira (19), às 19h30, diante da Chapecoense, na Arena Condá. É uma necessidade.

Por isso, o técnico Enderson Moreira fará mudanças na equipe na segunda partida pós-Copa do Mundo, a primeira pela Série A. Uma delas será na lateral direita, já que Nino Paraíba não se recuperou das dores no joelho direito e foi vetado. O lance aconteceu no jogo contra o Vasco, segunda-feira, pela Copa do Brasil, quando um jogador adversário caiu sobre o joelho de Nino. Ainda não foi divulgada a gravidade da lesão.

O volante Flávio vem sendo a opção para atuar no setor de forma improvisada desde a saída de João Pedro, mas desta vez Enderson deve optar por Bruno, especialista da posição. Recém-contratado do São Paulo, ele já está regularizado e, apesar de não atuar desde 17 de março, se colocou à disposição para estrear e jogar os 90 minutos.

“Eu quero ajudar de uma boa maneira ali nos 90 (minutos), o que o professor determinar. Estou numa crescente boa, vou conhecendo a forma do time jogar. A gente vai lutar sempre para a cada jogo melhorar, para chegar aos 100% tanto na parte física como técnica”, disse Bruno, 32 anos, em entrevista ao Programa do Esquadrão.

Pelo menos mais uma mudança deve acontecer e esta por opção do treinador. Também regularizado, o centroavante Gilberto é a grande esperança para acabar com o jejum de gols do Bahia. A tendência é que ele entre no lugar de Mena ou Léo, formando o trio de ataque com Zé Rafael e Edigar Junio, que seria deslocado para a ponta.

“Uma análise direta da equipe: é muito boa, tem um poder ofensivo muito bom. Sabemos que a bola não está entrando agora, mas eu falei que alguns ajustes vão vir e as bolas vão começar a entrar. A tendência é fazer sempre gols durante os jogos e ter uma média boa. Os atacantes têm que ajudar no setor defensivo. Ajudar a equipe a sair com o triunfo. A gente está nessa pegada de subir na tabela”, garante o novo camisa 9.

A tendência é que o tricolor entre em campo com Anderson, Bruno, Tiago, Lucas Fonseca e Léo; Gregore, Elton, Zé Rafael, Vinicius e Edigar Junio; Gilberto.

Vale lembrar que o jogo contra a Chapecoense é um confronto direto e, caso o Bahia vença, deixará a zona de rebaixamento, pois ultrapassaria o time catarinense, que tem 14 pontos, dois a mais que o tricolor, atual 17º colocado. A Chape está em 14º lugar.

Sem restrição

Principal novidade no time, a presença de Gilberto dá opções até mesmo para Enderson Moreira variar o esquema tático dentro da partida, já que Edigar Junio, a princípio, deixa de ser a referência.

O ex-atacante do São Paulo, inclusive, se colocou à disposição para exercer qualquer função no setor ofensivo. “Eu estou aqui para ajudar o Bahia de todas as formas, para que o Bahia consiga sair sempre com os três pontos e isso é não ter nenhum tipo de restrição sobre  os esquemas que  Enderson venha a montar. Se ele achar por bem entrar com dois, três ou quatro (atacantes), tenho que ajudar sempre”, afirmou.

A última partida do alagoano de 29 anos foi dia 7 de maio, pelo Yeni Malatyaspor, da Turquia. Porém, há mais de um mês treinando no Fazendão (foi anunciado no dia 11 de junho), Gilberto acredita que está em condições de suportar os 90 minutos.

“Foi um período intenso de bastante atividade e me sinto 100% para poder ajudar. Estou muito feliz por estar à disposição do professor, e finalmente vou estrear pelo Bahia. Vou procurar ajudar de todos os modos para conquistar os três pontos, que é o nosso único objetivo em Chapecó. Será um recomeço muito importante esse resultado para o futuro do time no campeonato”, afirmou o atacante.

Compartilhar