A partir do dia 1º de dezembro todos os cerca de 14 mil taxistas de Salvador (que dirigem 7 mil táxis) poderão cobrar bandeira 2 em todas as corridas independente do horário. Contudo, em função da concorrência com os aplicativos carros particulares por aplicativo, a cobrança não deve ser feita pela maioria da categoria.

A presidente do Sindicato dos Taxistas (Sinditáxi), Roseli Malhado, cada taxista ficará livre para decidir ou não pela cobrança. “Acredito que mais da metade dos taxistas não vai cobrar. Apesar das perdas que tivemos nos últimos anos com a chegada dos aplicativos vamos ter que abrir mão desse ganho extra para garantir o fluxo de passageiros. É importante que os taxistas avisem e dialoguem com os passageiros”, explica Roseli.

Em Salvador, a bandeirada, que é o valor cobrado no momento em que o taxímetro é ligado, custa R$ 4,81. A bandeira 1 custa R$ 2,42 por km rodado. Já na bandeira 2 é cobrado R$ 3,38 por km rodado.

O presidente da Associação Geral dos Taxistas (AGT), Ademilton paim, explica que os taxistas, mesmo com reajustes no valor da tarifa congelada ha 3 anos, chegaram a conclusão que o uso da bandeira 2 no mês de dezembro vai ficar a critério de cada taxista.

“As empresas de táxis e os taxistas na maioria, além de não fazer o uso da bandeira 2, ainda oferecem descontos que chega até 30% descontos no final da corrida.  Diferente dos aplicativos, que cobram valores diferenciados na chamada dinâmica que poderá ser cobrado do passageiro um valor  superior as corridas de táxi que pode chegar em média 200% a mais que o táxi. O passageiro, pode negociar com o taxista o uso da bandeira 1 ou 2 e acompanhar os valores registrados no taxímetro”,destaca Paim.

A bandeira 2 em dezembro é autorizada, por decreto, pela prefeitura de Salvador para funcionar como um ’13º salário’ dos taxistas.

Compartilhar