O número de voos diários de passageiros na China se recuperou e já chega ao patamar de 80% dos níveis pré-coronavírus, informou o regulador de aviação chinês na sexta-feira (25), à medida que a indústria da aviação de todo o mundo se recupera da queda na demanda de viagens causada pela pandemia.

Os cálculos dão conta de que, em 23 de julho, as companhias aéreas chinesas operaram 13.059 voos de passageiros, informou a Administração de Aviação Civil Chinesa (CAAC).

New York Times relata que o tráfego diário de passageiros era quase 70% do nível visto no ano passado, com fatores de carga (Load Factor) médios de 73,57%. O setor de aviação global está observando atentamente a capacidade na China como um indicador das tendências de recuperação da demanda.

Embora a China tenha relatado novos casos de COVID-19 em algumas partes do país, a demanda por viagens domésticas foi forte, pois as restrições de viagens foram reduzidas e as tarifas aéreas continuaram baratas, segundo a CAAC.

Pequim também está permitindo mais voos internacionais, mas exige que todos os passageiros que chegarem forneçam resultados negativos do teste COVID-19 antes do embarque.

Mistério do número de passageiros

Embora o governo chinês esteja reportando que 80% dos voos já voltaram e com um impressionante Load Factor médio de 73,5%, esse número ainda carece de análise. Isso porque a grande maioria das ligações internacionais de e para a China estão fechadas, muita gente perdeu o emprego e outras tantas pessoas estão com medo de viajar.

Nos países da região, a aviação segue moribunda, Cingapura, que só tem voos internacionais, tem reportado apenas 12% de ocupação nos voos das empresas aéreas locais, segundo a OAG, e os Estados Unidos não estão fazendo 20% das ligações que tinha com a China em janeiro. Lembrando que os voos internacionais abastecem um grande percentual dos voos internos na China com passageiros.

Compartilhar