Diminui cada vez mais as chances de a senadora Lídice da Mata (PSB) emplacar o Senado na chapa a reeleição do governador Rui Costa (PT). Além de ter participado de uma conversa de mais de três horas com ele e ter saído sem nenhuma definição, até mesmo o ex-governador Jaques Wagner já declarou a imprensa, inclusive, nacional, que já conversou bastante com a companheira histórica, sugerindo que ela dispute a eleição para a Câmara dos Deputados, para permanecer “na cena federal”. A justificativa do ex-ministro, que concorrerá a outra vaga ao Senado, é que é preciso levar em conta que o PSD, de Angelo Coronel “é o maior partido da base e não tem como ficar fora [da majoritária]”.

Argumento

Wagner disse ainda que não é mera questão de governabilidade e reiterou o argumento do governador sobre a “desobediência” à resolução da executiva nacional do PT, que orientou alianças com partidos como PSB e PCdoB nas eleições estaduais. “Claro que a chapa estadual baiana não vai passar pela nacional, porque a Bahia tem uma posição consolidada. Eu particularmente não vejo constrangimento nenhum”. O recado foi dado.

 

Compartilhar