Cerca de 127 mil beneficiários do Bolsa Família que moram em Salvador podem ter o benefício bloqueado caso não compareçam a um dos 140 postos da rede básica da capital baiana até o dia 30 de dezembro, para realizarem o acompanhamento obrigatório da saúde. Segundo a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), cerca de 56% dos 229 mil beneficiários que residem no município ainda não compareceram às unidades de saúde.

As famílias que possuem dentre seus dependentes crianças menores de sete anos, mulheres em idade fértil (14 e 44 anos) e gestantes de qualquer idade, devem comparecer a um dos 140 postos da rede básica, de segunda a sexta-feira, sempre das 08 às 17 horas. Os beneficiários devem levar o cartão do Bolsa Família onde consta o Número de Identificação Social (NIS), a caderneta de vacinação das crianças e a caderneta do pré-natal das gestantes.

“É importante que as pessoas compareçam o quanto antes aos postos e não deixem a realização do acompanhamento para última hora para evitar filas e possíveis transtornos. Vale lembrar que de acordo com a legislação, o não cumprimento das condicionalidades prevê efeitos que vão desde advertências aos beneficiários até o bloqueio ou a suspensão do recebimento do benefício”, explica Kênya Lima, técnica da Atenção Básica.

Mutirão
Para ampliar o acesso da população ao serviço, e evitar filas de última hora, neste sábado (14), das 8h às 17h, a SMS disponibilizará diversos pontos espalhados pela cidade exclusivamente para o atendimento do Bolsa Família. As condicionalidades exigidas para continuidade de recebimento do Bolsa Família são: acompanhamento do calendário vacinal; pesagem e mensuração da estatura das crianças, além da realização de pré-natal, no caso das gestantes.

Pagamento do 13º salário do Bolsa Família começa nesta terça-feira (10)O Ministério da Cidadania inicia nesta terça-feira (10) o pagamento do 13º salário do Bolsa Família dos beneficiários do programa do mês de dezembro. O pagamento vai até o dia 23 e o calendário segue o cronograma regular, conforme o número do NIS do beneficiário. Na Bahia, cerca de 1,7 milhões de famílias receberão o benefício – o valor da folha no estado chega a R$ 665.381.556,00 e o valor do benefício médio é de R$ 380,15. A folha do último mês do ano somou 13.170.607 famílias em todo o país, num valor total de R$ 2.525.746.007. Com o pagamento extra, o valor da folha chega a R$ 5.051.492.014,00.

No ano, o Bolsa Família fechou o orçamento em R$ 33,6 bilhões, cerca de 10% a mais do que em 2018 (R$ 30,6 bilhões). “Essa é uma determinação do presidente Jair Bolsonaro, que fez questão de ampliar esse recurso. É uma maneira de reforçar o Natal das famílias mais pobres do Brasil”, reforça Terra.O cumprimento da promessa de campanha do presidente Jair Bolsonaro foi garantido pela Medida Provisória 898, publicada no dia 15 de outubro de 2019. O incremento do orçamento foi assegurado pelo Relatório de Avaliação de Receitas e Despesas Primárias do Primeiro Bimestre de 2019, do Ministério da Economia.

Abaixo, segue tabela com o valor do pagamento e número de famílias por estado.

UF

Número de famílias

Valor total

Valor do benefício médio

Acre

86.987

R$ 47.689.238

R$ 548,24

Alagoas

387.195

R$ 152.405.806

R$ 393,62

Amazonas

387.230

R$ 180.430.928

R$ 465,96

Amapá

75.123

R$ 34.409.050

R$ 458,04

Bahia

1.750.294

R$ 665.381.556

R$ 380,15

Ceará

1.014.628

R$ 389.687.314

R$ 384,07

Distrito
Federal

66.683

R$ 24.568.762

R$ 368,44

Espírito
Santo

168.028

R$ 59.813.938

R$ 355,98

Goiás

277.003

R$ 89.616.160

R$ 323,52

Maranhão

927.651

R$ 403.781.942

R$ 435,28

Minas
Gerais

970.642

R$ 359.232.100

R$ 370,10

Mato Grosso
do Sul

114.397

R$ 42.045.872

R$ 367,54

Mato Grosso

142.557

R$ 49.296.268

R$ 345,80

Pará

925.135

R$ 377.003.824

R$ 407,52

Paraíba

502.403

R$ 205.681.340

R$ 409,40

Pernambuco

1.127.840

R$ 420.952.068

R$ 373,24

Piauí

437.844

R$ 186.586.528

R$ 426,14

Paraná

335.494

R$ 111.677.552

R$ 332,88

Rio de
Janeiro

818.580

R$ 308.268.972

R$ 376,58

Rio Grande
do Norte

339.308

R$ 129.219.184

R$ 380,84

Rondônia

71.216

R$ 22.233.020

R$ 312,20

Roraima

44.067

R$ 19.503.112

R$ 442,58

Rio Grande
do Sul

325.960

R$ 114.263.026

R$ 350,54

Santa Catarina

106.298

R$ 38.016.004

R$ 357,64

Sergipe

280.015

R$ 96.683.774

R$ 345,28

São Paulo

1.378.331

R$ 480.723.674

R$ 348,78

Tocantins

109.698

R$ 42.321.002

R$ 385,80

Total

13.170.607

R$ 5.051.492.014

R$ 383,54

Os interessados em receber o Bolsa Família devem se inscrever no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. O registro pode ser feito nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras) ou na gestão municipal do Bolsa Família e do Cadastro Único.

O programa atende às famílias que vivem em situação de extrema pobreza, com renda per capita de até R$ 89 mensais; e pobreza, com renda entre R$ 89,01 e R$ 178,00 mensais.

Compartilhar