A CDL Salvador aderiu à campanha lojista que pede dos bancos linhas de crédito sem juros para o setor produtivo devido aos efeitos econômicos da crise causada pela epidemia do novo coronavírus. A campanha Juro Zero traz a ideia de que a medida é necessária “para o comércio não quebrar, o emprego não acabar e a vida continuar”, conforme apresentado em seu vídeo de divulgação.

A campanha pretende atrair o maior número de entidades para sensibilizar e pressionar bancos públicos e privados, que registraram lucro recorde em 2019. “São instituições que podem abrir mão de parte do lucro para ajudar empresas que estão sofrendo por todo o país e cujo prejuízo se multiplica, atingindo a economia, afetando emprego e renda dos brasileiros”, defende o presidente da CDL Salvador, Alberto Nunes.

Lançada inicialmente pela CDL de Belo Horizonte (MG), a campanha vem sendo adotada por diversas representações de comércio pelo país. O presidente da CDL de Belo Horizonte, Marcelo de Souza e Silva, alerta para a necessidade de desburocratizar o acesso às linhas de crédito especiais já lançadas pelo governo. “As micro, pequenas e médias empresas, que são as que mais estão necessitando de recursos neste momento, e estão tendo enormes dificuldades na aprovação do crédito”, afirmou.

A campanha chama a atenção para o fato de que 60% da população está isolada e que o comércio mergulha na mais dramática crise de sua história. As peças lembram que micro, pequenas e médias empresas são as maiores geradoras de emprego do país e que a liberação dos juros não é caridade. “É política econômica de reparação. Esses mesmo bancos, só em 2019, lucraram mais de 100 bilhões de reais. Os bancos têm o compromisso de abrir mão dos lucros para salvar a economia e a vida das pessoas”, diz o texto.

Compartilhar