Após ter o seu mandato cassado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na última sexta-feira, 6, o deputado estadual Targino Machado (DEM) se manifestou nas redes sociais contra a decisão. De acordo com o parlamentar, a decisão teria sido fruto do “uso da força política” pelos adversários e defendeu ser um “político 100% ficha limpa”.

“Deus me trará força. Combati a corrupção sempre com provas, nunca fui atacado. Felicidade, passei no vestibular: vivi na lama e não me melei. Usaram da força política para me cassar, só por servir o povo como médico humanitário por 40 anos. A vida segue! Combati o bom combate contra corruptos, contra traficantes que se tornaram poderosos com a força do dinheiro público e do crime. Hoje o TSE derrubou um político 100% limpo. É a vitoria dos corruptos contra os honestos. É muito triste. Em breve Irei nominar os interessados nisto!”, diz o texto publicado por Targino.

Em investigação, o Ministério Público apurou que Targino Machado se valeu da sua condição de médico para realizar atendimentos gratuitos para a população de Feira de Santana, com o intuito de angariar votos para sua campanha, em 2018. Ele chegou a ser absolvido no Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRT-BA), mas o Ministério Público Eleitoral, por meio da Procuradoria Regional Eleitoral na Bahia (PRE-BA), recorreu contra decisão.

O deputado estadual Tiago Correia (PSDB) que atuava como suplente do deputado Leo Prates (PDT), licenciado por atuar como secretário de saúde de Salvador, assumirá de forma definitiva no lugar do democrata.

Compartilhar