A rotina da cidade de Salvador sofrerá nova alteração a partir desta quarta-feira, quando uma série de estabelecimentos não poderá abrir as portas, conforme decreto baixado pelo prefeito ACM Neto e publicado no diário oficial. A medida visa diminuir a circulação de pessoas na capital baiana para conter o avanço do novo coronavírus.

Está suspenso, pelo prazo de 15 dias, o funcionamento de casas de shows e espetáculos, boates, danceterias, salões de dança, casas de festas e eventos, clínicas de estéticas e salões de beleza.

Bares, restaurantes e lojas de conveniência que ficam em postos de combustíveis funcionarão de forma restrita: poderão efetuar entregas em casa e disponibilizar alimentos e bebidas para serem consumidos fora do ambiente.

Também está vetada qualquer atividade sonora na cidade, pelo mesmo prazo, em locais públicos e estabelecimentos particulares.

Os mercados administrados pela prefeitura que não comercializam itens de primeira necessidade também fecharão as portas: mercados municipais de Itapuã, Cajazeiras, Bonfim, Liberdade e das Flores (Largo Dois de Julho).

Estão proibidas, também por 15 dias, atividades nas academias dos prédios e obras em condomínio já habitados, inclusive as que já estão em andamento, exceto as de caráter emergencial.

Obedecendo ao decreto publicado pelo Governo do Estado, as reuniões que envolvem igrejas e templos religiosos poderão contar com, no máximo, 50 pessoas.

Desde o último sábado, já não funcionam em Salvador shoppings centers, centros comerciais e praias. Universidades, autoescolas, academias, parques e equipamentos culturais também estão com as portas fechadas.

Compartilhar