A Câmara Municipal de Salvador e outros prédios legislativos adjacentes vão passar por uma grande reforma nos próximos 12 meses. A obra, com intervenções no Paço Municipal, Centro de Cultura e anexos Bahia Center e Rio Lima, tem investimento de R$ 8 milhões.

O Poder Legislativo e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) assinaram, no Salão Nobre, nesta sexta-feira (28), o convêncio para a recuperação dos imóveis. A reforma foi viabilizada pela emenda parlamentar do deputado federal Cacá Leão (PP-BA), no valor de R$ 8 milhões, atendendo ao pleito do presidente da Casa, vereador Leo Prates (DEM).

As obras preveem a unificação do Bahia Center e Rio Limas, que abrigarão setores administrativos, gabinetes legislativos e um novo auditório para a qualificação de servidores, vereadores e população em geral.

No Paço Municipal, Leo Prates ressaltou a requalificação de toda a parte elétrica, o avanço do sistema de internet e a viabilização do Plano de Combate a Incêndios, dando mais segurança à Casa Legislativa.

“Já fizemos um grande investimento para a melhoria da internet na Casa, mas não foi muito sentido, porque o cabeamento é muito antigo. Eu sempre digo que é como se fosse uma Ferrari andando numa estrada de terra. Essa reforma vai permitir corrigir isso. A obra beneficiará toda a nossa cidade”, afirmou.

O Iphan foi representado pela presidente Kátia Bogéa, que enalteceu a “parceria permanente com a Bahia na preservação do patrimônio cultural”. A atuação pela preservação do patrimônio histórico de Salvador, independentemente de ideologia partidária, foi defendida por Cacá Leão.

“É o nosso papel. É uma reforma que entrará para a história desse Paço. Estou mundo honrado por poder participar e ser o instrumento dessa revitalização”, disse o parlamentar federal. O secretário municipal de Turismo, Cláudio Tinoco, também agradeceu aos presidentes da Câmara e do Iphan. “Quem ganha é a cidade”, elogiou.

Há três meses, a Diretoria Administrativa (Dirad) da Câmara protocolou junto ao Iphan os projetos referentes à reforma dos prédios do Poder Legislativo. A apresentação da documentação foi formalizada pelo diretor-administrativo da Casa, Leonardo Baruch, e pelo engenheiro Leonardo Paes Leme.

Patrimônio histórico
A fachada principal é formada por arcadas de pedra de cantaria, que repousam sobre colunas toscanas superpostas por 13 janelas de púlpito com grades de ferro. No centro, acima da portada principal, há uma pequena torre onde está instalado o sino de ferro que foi fundido em 1615.

A planta do Paço se desenvolve em torno de um pátio central, onde foi aberta uma cisterna e colocada escadaria com degraus e corrimões revestidos de mármore.
A escada dá acesso ao Salão Nobre e ao Plenário Cosme de Farias. Os dois espaços têm paredes ornadas por pinturas murais e forro de madeira, dividido em cinco painéis.

O escritor Affonso Ruy conta no livro “História da Câmara Municipal da Cidade de Salvador” que o Paço nasceu sem nenhuma grandeza e serviu de cadeia para recolher os criminosos vindos de toda a capitania. A obra foi entregue pelo presidente Leo Prates ao deputado Cacá Leão e à equipe do Iphan, durante a solenidade de assinatura do convênio.

Compartilhar