Durante entrevista na Rádio A Tarde FM nesta terça-feira, 15, o ex-deputado estadual e atual vice-prefeito Bruno Reis (DEM) foi o convidado e abordou seus projetos para a capital baiana, caso seja eleito.

Criticado por adversários políticos, ao ser taxado de “poste” do prefeito ACM Neto (DEM), Bruno Reis tratou logo de fazer uma minibiografia para responder aos olhares desconfiados de sua capacidade em administrar a capital.

“Por mais que eu tenha sido deputado, vice-prefeito e duas vezes secretário, ainda assim, pelo fato de as pessoas não estarem preocupadas com a eleição, muitos não conhecem minha história. Eu cheguei aqui em Salvador, vindo do interior, aos cinco anos de idade. Não sou filho de filho de família tradicional baiana nem sou filho de político. Não me considero um poste de Neto e de ninguém. Cada um é produto de sua vida”, afirmou.

Investimentos

Ao ser questionado como garantir os investimentos e um ambiente de negócios favorável, em um momento que a economia ainda enfrenta reflexos da pandemia da Covid-19 (novo coronavírus), Bruno Reis prometeu uma política de estímulos fiscais. “Isso vai ser possível garantindo que não vai haver aumento de qualquer imposto, evitar sonegação fiscal, arrecadação mais eficiente, transformar ativos da prefeitura, licenciando empreendimentos e contando com a iniciativa privada. Vamos ter que nos reinventar”, projetou.

Política Social

A crise econômica, provocada pela pandemia, tem levado muitas pessoas para a condição de pobreza. Qual a política para as comunidades carentes?

“Vamos chegar forte na área social. O auxílio emergencial revelou muitos invisíveis que não estavam no Cadastro Único do Governo Federal e da prefeitura. Temos estas informações para identificar o perfil das famílias, que demanda posto de saúde, que pega regularmente remédio na farmácia do município, aquela família que é beneficiada por algum programa, como aluguel social e morar melhor. A partir do cruzamento destas informações, fazer um trabalho mais voltado para as famílias.

Ele continuou: “É o que nós estamos chamando de uma iniciativa pela inclusão social. Vamos ter um olhar mais clínico voltado para as famílias especificamente. Eu digo sempre que a gente conhece Salvador na palma da mão, porque a gente roda esta cidade há mais de 20 anos, conhece cada beco, cada viela, cada canto. Agora, precisamos conhecer as famílias na palma da mão, saber qual a real necessidade de cada um e, a partir daí, definir as políticas públicas.

Alianças

O DEM conseguiu fechar o apoio do PDT à candidatura de Bruno Reis ao posto de prefeito de Salvador e isso é atribuído à capacidade de articulação política do candidato nos bastidores. Este movimento já teria alguma relação com as eleições de 2022?

“Há muito tempo a gente vinha paquerando o PDT. A conjuntura política como um todo favoreceu. Não discutimos nada sobre 2022. Cada dia com sua agonia. Tem dia de paquera, tem dia de namorar e de casar. Precisamos ganhar as eleições. Tudo na vida é relação, convivência. Quando a convivência é sadia isso permite uma série de parcerias”.

Bruno Reis encerrou sua participação dizendo que “As pessoas estão me conhecendo e vendo o nosso potencial. Pode ter certeza, do ponto de vista político e administrativo, que me preparei. A cidade se acostumou a ter o melhor prefeito do Brasil, mas eu vou me superar”, assegurou.

Compartilhar