O prefeito de Salvador, Bruno Reis, revelou em coletiva realizada na manhã desta terça-feira (17), que cerca de 142 mil pessoas habilitadas para imunização contra a Covid-19 não foram tomar a primeira ou segunda dose.

O gestor da capital baiana detalhou que, do total, 96 mil pessoas não foram tomar a primeira dose, enquanto 46 mil não retornaram para receber a segunda. Bruno Reis cobrou responsabilidade dessas pessoas.

“Queria ter uma conversa séria com 96 mil pessoas que não foram tomar a primeira dose. Pessoas acima de 21 anos que não foram tomar. E um universo de 46 mil pessoas que não foram tomar a segunda dose. Estou falando de 142 mil pessoas que precisam ter compromisso com si próprio e com os outros. Queria chamar a atenção desses que precisam ter responsabilidade, para que vão se vacinar.”, disse o prefeito.

Segundo ele, as vacinas separadas para aplicação da primeira dose estão paradas, porque ele não pode usar esses imunizantes para aplicação de primeira dose. Bruno reis destacou ainda que em outros lugares do mundo, a pandemia segue avançando neste público que não se vacinou.

“O que está acontecendo nos outros lugares do mundo? A pandemia continua avançando justamente nessas pessoas. Pessoas que não tomaram a primeira ou que não concluíram a imunização. E o que os gestores estão tentando que fazer? Tomando medidas de isolamento social, o que penaliza a todos. Se todos tiverem ido se vacinar, com certeza a gente vai vencer essa guerra numa rapidez maior”, disse.

O prefeito destacou que foram feitos apelos, envio de mensagens, mas que o número de pessoas que não foi se vacinar é considerado alto.

“Estamos indo na casa das pessoas, fazendo busca ativa. Nossos agentes estão nos bairros, indo nas casas das pessoas. É necessário isso? Cadê o compromisso? É isso que vai permitir a gente voltar à normalidade o mais rápido possível”, falou.

Ele chamou a atenção ainda para que, mesmo com a vacinação, as pessoas sigam usando máscara e mantendo o distanciamento.

“Os números estão caindo, mas qualquer mudança nessa curva, não hesitarei em tomar medidas”, concluiu.

Compartilhar