Os famosos teatros da Broadway não reabrirão antes do início de setembro, anunciou o seu grupo de acionistas nesta terça-feira (12).

Embora a Broadway League não tenha definido uma data para a volta das performances, a associação informou que a troca de ingressos para as apresentações ou sua devolução agora estão disponíveis a partir do dia 6 de setembro.

A decisão não surpreende, já que Nova York continua sendo o epicentro da pandemia de coronavírus nos EUA. A covid-19 continua sendo responsável pela morte diária de mais de 150 pessoas no estado.

A reabertura dos setores de artes e entretenimento, uma das principais características da vida nova-iorquina, integra a última fase do plano do governador Andrew Cuomo de retorno da atividade econômica e cultural no estado americano.

“Enquanto todos os shows da Broadway gostariam de retomar as apresentações o mais rápido possível, precisamos garantir a saúde e o bem-estar de todos os que vão ao teatro – atrás da cortina e na frente dela – antes que os shows voltem a acontecer”, disse Charlotte St. Martin, presidente da Broadway League, em um comunicado.

Assim como quase todos os locais de entretenimento da cidade, os teatros da Broadway interromperam suas atividades em meados de março, quando 31 espetáculos estavam em cartaz e oito finalizavam os ensaios para as estreias durante a primavera.

O fechamento da atração turística mais lucrativa da cidade atinge fortemente a economia: usualmente, a Broadway é responsável pela arrecadação de US$ 33 milhões por semana nas vendas de ingressos.

Compartilhar