Por Equipe InfoMoney

As Bolsas europeias operam sem direção definida nesta segunda-feira (20), com os investidores atentos à reunião da cúpula da União Europeia e ao pacote de recuperação à região que está sendo discutido, que está sendo debatido há quatro dias.

No Brasil, a atenção está voltada para a entrega nesta semana da primeira fase da reforma tributária elaborada pelo Ministério da Economia, que deve contemplar a unificação do PIS e Cofins.

Entre as notícias corporativas, as operadoras TIM, Vivo e Claro fizeram uma proposta conjunta pelos ativos de telefonia móvel da Oi e a Marfrig quer dar início a um programa de rastreamento que possa coibir o boicote de compradores externos.

A B3 tem vencimento de opções sobre ações e, após fechamento, Vale divulga relatório com expectativa de recuperação em sua produção e lucratividade.

1. Bolsas mundiais

As Bolsas europeias iniciam a semana sem direção definida, de olho na reunião da cúpula da União Europeia e no pacote de recuperação à região que está sendo discutido. Já os futuros de Nova York operam em leve queda.

Na reunião em Bruxelas, os líderes dos 27 países da União Europeia discutem o modelo para o pacote de ajuda de 750 bilhões de euros. Esse é o quarto dia de negociações.

O DAX, de Frankfurt, tem valorização de 0,38%, e o CAC 40, de Paris, tem leve queda de 0,16%.

Uma das propostas é que metade desse recurso seja em forma de doação e a outra parcela, como empréstimo, o que desagrada os países mais afetados pela pandemia do novo coronavírus.

Nos Estados Unidos, os futuros do Dow Jones registram variação negativa de 0,28% e os do S&P 500 recuam 0,21%.

Pesa também sobre o humor dos investidores as preocupações com o aumento das infecções pela Covid-19, principalmente nos Estados Unidos e Ásia. A intensificação desses casos levanta o temor de que os governos possam impor restrições de circulação mais rígidas, tornando ainda mais lenta a recuperação da economia.

“Nosso cenário base permanece para uma recuperação econômica contínua, mas os dados mais recentes indicam uma recuperação mais lenta e instável”, disse, à Bloomberg, Shane Oliver, chefe de estratégia de investimentos da AMP Capital Investors.

Oliver afirma que além da possibilidade de novos bloqueios, as eleições americanas, em novembro, também são um fator de risco. A temporada de balanços segue nos EUA na semana, com Microsoft entre os destaques.

No mercado de commodities, o petróleo estende as perdas, com o WTI mantendo-se na faixa de US$ 40 o barril. O minério tem leve queda na bolsa de Dalian, na China. Vale destacar a projeção do Citi, de que o minério de ferro afundará para US$ 80 no 4º trimestre com recuperação de estoques.

Veja o desempenho dos mercados, às 7h39 (horário de Brasília):

Nova York

*S&P 500 Futuro (EUA), -0,28%

*Nasdaq Futuro (EUA), -0,02%

*Dow Jones Futuro (EUA), -0,21%

Europa

*Dax (Alemanha), +0,51%

*FTSE 100 (Reino Unido), -0,30%

*CAC 40 (França), +0,10%

*FTSE MIB (Itália), +0,05%

Ásia

*Nikkei 225 (Japão), +0,09% (fechado)

*Hang Seng Index (Hong Kong), -0,12% (fechado)

*Shanghai SE (China), +3,11% (fechado)

*Petróleo WTI, -1,01%, a US$ 40,18 o barril

*Petróleo Brent, -0,88%, a US$ 42,76 o barril

**Contratos futuros do minério de ferro negociados na bolsa de Dalian fecharam em queda de 0,31%, cotados a 817.000 iuanes, equivalente hoje a US$ 116,86 (nas últimas 24 horas).
USD/CNY = 6,9911 (-0,02%)

*Bitcoin, US$ 9.167, +0,35%

2. Agenda

No Brasil, o Banco Central (BC) publicou às 8h25 o boletim Focus, que compila as projeções econômicas feitas por uma série de instituições. Em destaque, está a nova revisão para cima do PIB do Brasil, que passou de previsão de queda de 6,10% para baixa de 5,95% em 2020; para 2021, a previsão foi mantida em 3,5%. Já a projeção para o IPCA deste ano foi mantida em 1,72%, a do dólar em R$ 5,20 e a da Selic em 2% ao ano.

Às 15h, será a vez da Secretaria de Comércio Exterior divulgar a balança comercial semanal.

Philip Lane, membro do Comitê Executivo do Banco Central Europeu (BCE), faz pronunciamento às 11h30 (horário de Brasília).

No Japão, às 20h30, será divulgada a inflação medida pelo IPC referente ao mês de junho.

3. Reforma tributária

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e líderes partidários apoiam a proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, em unificar a cobrança da PIS e Cofins, segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”. No entanto, defendem uma discussão mais ampla para a reforma tributária.

A unificação faz parte do que seria a primeira fase da proposta de reforma tributária do governo federal, que Guedes prometeu entregar até terça-feira.

A ideia de líderes partidários é que o texto da equipe econômica seja acoplado a uma proposta mais abrangente. Atualmente, há duas PECs (propostas de emenda à Constituição) que envolvem simplificação de tributos no Congresso: a 45, na Câmara, e a 110, no Senado.

Guedes também planeja, em uma das etapas da reforma tributária, criar um imposto sobre transações digitais, aos moldes da antiga CPMF. No final de semana, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que esse novo tributo não é a CPMF, mas se esquivou de responder se é favorável à proposta.

4. Fundeb

A Câmara dos Deputados dá início nessa semana à votação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que trata do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), mas o governo federal tenta alterar a proposta em discussão desde 2016.

Segundo o jornal “O Estado de São Paulo”, o governo tenta limitar o suo dos recursos do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) para o pagamento de salários de professores e quer que parte dos recursos do Fundeb seja destinado ao novo programa Renda Brasil.

As modificações foram propostas às vésperas da votação e incluem ainda o início da vigência das novas regras para 2022. Especialistas em educação afirmam que isso criaria um vácuo de recursos para o próximo ano, já que o fundo atual tem vigência apenas até o final de 2020.

5. Panorama corporativo

As operadoras TIM, Vivo e Claro apresentaram no final de semana uma proposta conjunta pela unidade móvel da operadora Oi. Segundo os comunicados entregues à CVM, as empresas pediram à Oi o direito de cobrir potenciais propostas que a empresa brasileira possa ter recebido pelos ativos.

O preço mínimo estabelecido pela Oi para os ativos de telefonia móvel é de R$ 15 bilhões e, segundo a empresa, foi feita mais de uma proposta por essa unidade. No entanto, não foi revelada a identidade dos candidatos, os valores ou o número de propostas.

Além do valor do negócio, a Oi deverá levar em conta uma proposta que garanta a aprovação do negócio mais rápida pelos órgãos reguladores.

Já a estatal de energia Eletrobras informou que o conselho de administração da empresa aprovou a concessão de adiantamento para futuro aumento de capital (Afac) da subsidiária Eletronuclear. Essa é uma das etapas para retomar as obras na usina nuclear de Angra 3.

A elétrica disse em comunicado ao mercado, divulgado na sexta-feira à noite, que a operação com sua subsidiária de geração nuclear envolverá R$ 1,052 bilhão em 2020 e R$ 2,447 bilhões em 2021.

E as empresas de proteína tenta evitar boicote a seus produtos. Uma das primeiras a se movimentar é a Marfrig. A empresa deverá adotar a rastreabilidade de gado, segundo reportagem do jornal “Folha de S.Paulo”.

A empresa marcou para esta quinta-feira o lançamento de um compromisso com o desmatamento zero e a rastreabilidade.  A intenção, segundo a reportagem, é comprovar que a origem da proteína servida nas mesas da Europa e das maiores economias não saiu de área desmatada. Com isso, evita-se entrave à exportação.

Também no radar, a Vale deve apresentar recuperação em sua produção e lucratividade no segundo trimestre, em meio ao fortalecimento dos preços do minério de ferro no período. A estimativa média de cinco analistas consultados pela Bloomberg é de uma produção de 69 milhões de toneladas de abril a junho. A mineradora divulga relatório de produção após o fechamento dos mercados.

Compartilhar