Um grupo de bispos e pastores da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola assumiu, na segunda-feira (22), o controle de 35 templos da Universal em Luanda e cerca de 50 em outras províncias do país, como Lunda-Norte, Huambo, Benguela, Malanje e Cafunfo; rompendo assim com a liderança de Edir Macedo.

Segundo a BBC, os bispos e pastores angolanos acusam a direção brasileira da igreja de evasão de divisas, expatriação ilícita de capital, racismo, discriminação, abuso de autoridade, imposição da prática de vasectomia aos pastores e intromissão na vida conjugal dos religiosos.

Segundo a Igreja Universal, os religiosos que tentam “tomar de assalto” os templos em Luanda, são ex-pastores da denominação, acusados de cometer delitos e pecados que infringem o código de conduta de um ministro de culto.

Compartilhar