O discurso oficial do presidente do Esporte Clube Bahia, Guilherme Bellintani, é de que o foco total hoje é no clube. Nos bastidores, aliados têm dito, no entanto, que o dirigente do Esquadrão já entrou em campo para tentar viabilizar a sua candidatura a prefeito de Salvador em 2020, quando acontecerá a sucessão de ACM Neto (DEM). Sem partido desde que deixou a prefeitura, onde ocupou três secretarias, Bellintani tem recebido convites de legendas tanto do grupo de ACM Neto quanto da base do governador Rui Costa (PT).

É verdade, no entanto, que os rumores maiores atualmente são de que Bellintani deve ser postulante pela ala petista, já que o prefeito soteropolitano deseja que o vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), seja o seu candidato na sucessão. Segundo dois aliados ouvidos pela Tribuna, dentre as siglas aliadas a Rui, o mandatário do Esquadrão prefere o PSB – partido liderado pela deputada federal Lídice da Mata.

Neste cenário, a intenção seria agregar as legendas de esquerda e o PT poderia indicar um nome, como a vereadora Marta Rodrigues, para a possível chapa. De acordo com um dos correligionários de Bellintani, o presidente do Bahia teria resistência ao PP e ao PSD, pois, são comandados por “caciques” e o dirigente esportivo gostaria de ter maior liberdade partidária. Apesar do desejo de se filiar ao PSB, o chefe do Esquadrão não tem descartado virar petista. Recentemente, em entrevista à Tribuna, fez um afago à agremiação partidária ao dizer que votou em Fernando Haddad (PT) para presidente da República e declarar que “é um partido que trouxe avanços e debates sociais importantíssimo, e ninguém vai tirar nunca”.

Aliados afirmam ainda que Bellintani deve deixar o Bahia em dezembro, quando encerra o Campeonato Brasileiro. O Estatuto do clube permitiria que o presidente se licenciasse por um período, mas ele tem descartado a hipótese e a tendência é que renuncie para ser postulante. “Candidato a candidato”, Bellintani deixou a impressão a um político, com quem conversou recentemente, de que ainda tem esperança de disputar a prefeitura com o apoio do ACM Neto. Dentro da base do prefeito, há quem não acredite que o ex-secretário migrará para a base de Rui Costa. “Não acho que ele vá fazer essa portabilidade”, brincou um aliado de Neto, em conversa reservada. Portabilidade é a expressão que a torcida do Bahia tem usado para convencer torcedores do Vitória a mudar de time. Há quem aposte, porém, em um “duelo BB”, isto é, Bellintani contra Bruno Reis. Por enquanto, os dois possíveis adversários têm evitado embates públicos. Nos bastidores, o presidente do Bahia já afirmou, todavia, que tem mais projetos a mostrar do que vice-prefeito em um evento confronto eleitoral.

Compartilhar