Às vésperas do pleito eleitoral, o atual presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, falou sobre alguns arrependimentos sob o comando do Tricolor, e comentou a situação do volante Elias, alvo de queixas da torcida. Os temas foram abordados durante uma live, na página Revolução Tricolor, no Instagram, na noite desta quinta-feira, 10.

“Eu tenho uma lista de arrependimentos, que vai do Farol da Barra ao Farol de Itapuã, é uma lista enorme, e você só faz essa lista quando coloca a cara para errar. Ser presidente do Bahia é algo muitíssimo difícil, é difícil demais. Eu vivi 15 anos exclusivamente como empresário. Sou filho de classe média de Salvador, em 15 anos consegui um desenvolvimento profissional, que me deu liberdade econômica. Depois fui gestor público por cinco anos. Geri na Secretaria de Educação um orçamento que é 12 (vezes) o do Bahia, só que não existe nada igual a ser presidente do Bahia”, comparou Bellintani.

Avaliando o desempenho do jogador Elias, de 35 anos, contratado sob o aval do técnico Mano Menezes, o presidente ressaltou a autonomia do treinador na escolha dos atletas que entram em campo.

“A torcida não está satisfeita com Elias. Eu devo como presidente, diante de tamanha pressão, chegar para o treinador e dizer; Elias não viaja, Elias não tem condição, porque a torcida está me pressionando? No dia que eu fizer isso, eu tenho que mandar o treinador embora. Então, enquanto tivermos um treinador no clube, ele decide”, disse o presidente.

Compartilhar