Provável novo coordenador da bancada baiana no Congresso Nacional e base do governador Rui Costa (PT), o deputado federal Marcelo Nilo (PSB-BA) é contra o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Apesar de achar que o chefe do Executivo Nacional não respeita a nação e “quer ser imperador”, tentando instalar um sistema autoritário no país, ele acha que a saída de Bolsonaro seria prejudicial ao país.

“Eu sou contra o impeachment, porque o impeachment é muito ruim para a economia do país. Mas ele tem que respeitar a democracia. Ele está defendendo o fechamento do Congresso porque quer ser rei. Ele não tem força política no Congresso por causa da relação péssima que ele tem. Ele não teve nem a consideração de mandar um telegrama para a esposa dele em ocasião da morte de Bebianno. Ele é, sem dúvida, completamente diferente do que é o regime democrático. Seu lugar é defender os 210 milhões de brasileiros, mas ele só defende os radicais, aqueles que querem o fechamento do Congresso Nacional, do Supremo”, afirmou, em entrevista nesta segunda-feira na rádio A TARDE FM.

Compartilhar