O prefeito ACM Neto antecipou nesta sexta-feira (10) algumas diretrizes do plano com 100 medidas para recuperação econômica de Salvador, que deve ser apresentado nos próximos dias e elaborado pela equipe do gestor.

Segundo ele, o plano trará, além das diretrizes fiscais e tributárias, um viés para ordenamento do convívio das pessoas. “Estímulo à ampliação da rede de ciclovias e ciclofaixas da cidade, alargamento de passeios e calçadas, para estimular a mobilidade… Vamos permitir bares e restaurantes de funcionarem nas calçadas públicas, claro que de maneira ordenada, porque é muito mais seguro para o recomeço da retomada de que eles possam estar em praça pública, calçadao, que ambiente fechado”, diz.

De acordo com Neto, no plano se somarão medidas tributárias com ações de urbanismo e mobilidade, investimentos e infraestrutura, estímulos a setores que vão gerar emprego. “Tem também uma estratégia específica para turismo”, destaca. “É um dos setores mais empregadores da cidade e que hoje está muito afetado pela pandemia”.

A diretriz tributária vai dar um tratamento especial ao que Neto chamou de “bons pagadores”, que passaram a ter problemas por conta da pandemia. Ele citou a medida de não negativar quem parou de pagar tributos após 15 de março, já anunciada anteriormente. “Temos também investimentos pesados em infraestrutura, que a prefeitura vai liberar, principalmente a partir de financiamentos públicos, federais, e operações de crédito internacionais. Temos também anúncios importantes de novos empreendimentos privados que a preveitura articulou, que vão gerar pelo menos 30 mil empregos em Salvador”, estima.

“Vamos ter depois, ao mesmo tempo, um grande pacote de medidas na área social, que serão anunciadas nos próximos dias”, acrescentou.

Neto falou também das medidas de retomada anunciadas por municípios da Região Metropolitana de Salvador, destacando a importância do trabalho conjunto. “Acho muito positivo que as cidades da RMS tenham critérios objetivos para definir o que vai abrir, quando vai abrir. Foi assim que a gente fez aqui, isso sempre traz segurança, não só para o poder público, como para o cidadão. E a gente nivelar as medidas da capital com os da RMS, acho que todos saem ganhando com isso. Meu inteiro interesse é que haja o máximo de alinhamento possível entre a capital e os municípios da RMS. Estão à disposição dos prefeitos”, diz.

Com informações do Correio da Bahia –  Gil Santos

Compartilhar