A Bahia registrou no final da tarde desta terça-feira (14) a 25ª e 26ª mortes de pessoas diagnosticadas com coronavírus. A informação foi divulgada pela Secretaria de Saúde do estado (Sesab).

De acordo com a Sesab, o 25º óbito ocorreu na última sexta-feira (10). A paciente era uma idosa de 84 anos residente na capital baiana, com histórico de hipertensão, dislipidemia e tuberculose pleural, que estava internada em um hospital público em Salvador. O resultado laboratorial confirmando o diagnóstico positivo de Covid-19 foi divulgado no sábado (11) e a investigação epidemiológica concluiu a análise nesta terça.

Já a 26ª morte foi de uma paciente de 62 anos, residente em Itapé, com histórico de cirrose, hepatite B e cardiopatia. Ela estava internada em um hospital público em Ilhéus desde 3 de abril e morreu na sexta-feira (10). A data da coleta para o diagnóstico da Covid-19 foi no sábado (11) e o resultado confirmatório foi divulgado no dia seguinte, sendo que a investigação epidemiológica foi concluída nesta terça.

Das 26 mortes, 13 ocorreram em Salvador. As outras 13 estão distribuídas pelos municípios de Lauro de Freitas (2), Gongogi (1), Itapetinga (1), Utinga (1) e Adustina (1), Araci (1), Itagibá (1), Uruçuca (1), Ilhéus (1), Belmonte (1), Itapé (1) e Vitória da Conquista (1).

De acordo com o boletim divulgado pela Sesab, o número de casos subiu de 723 para 776 em menos de 24 horas.

Até o momento, 5.268 casos foram descartados. Ao todo, 191 pessoas estão recuperadas. Do total de casos confirmados, 85 estão internados, sendo 29 em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com os Cievs municipais.​​

Até esta terça-feira, o coeficiente de incidência na Bahia é de 96,77/100.000 habitantes. Quanto ao sexo dos casos confirmados, 434 (55,93%) são do sexo feminino. A mediana de idade é 39 anos, variando de 4 dias a 96 anos.

A faixa etária mais acometida foi a de 30 a 39 anos, representando 28,61% do total. Porém, o coeficiente de incidência por 100.000 habitantes foi maior na faixa de 50 a 59 anos (94,73), indicando o maior risco de adoecer entre essa faixa etária.

Compartilhar