Por Rodrigo Daniel Silva

O deputado federal Bacelar, que preside o Podemos na Bahia, minimizou, ontem, a presença do vereador de Salvador, Sidninho (Podemos), no evento do prefeito ACM Neto (DEM), que deu início às obras de construção da nova ligação viária entre a BR-324 e o bairro da Mata Escura, na última terça-feira. “Eu não iria, mas não vi nada de absurdo. É uma obra que ele reivindicou. É uma obra que coloquei recursos a pedido dele. Eu acho que é uma tempestade em copo d’água”, declarou Bacelar.

A ida de Sidninho para o evento provocou a raiva de parte da bancada de oposição na Câmara de Salvador, já que o vereador do Podemos lidera o grupo na Casa. Em nota, os vereadores da minoria disseram que manifestavam “profunda decepção e reprova a atitude” de Sidininho. “A atitude do vereador descaracteriza e fragiliza o campo oposicionista na Câmara. O vereador compromete a sua condição de líder de uma bancada de oposição. As bancadas ou blocos políticos organizam-se para o debate e a disputa de ideias, a partir de princípios e projetos políticos. Não cabe pragmatismo nem interesses pessoais ou de grupos, em nome de uma coletividade”, diz trecho da nota.

“A oposição ao prefeito ACM Neto, na situação que vive o povo de Salvador, tem que ter como referência à gestão das políticas públicas, à garantia dos direitos sociais, às condições de vida do povo, que inclui educação e saúde públicas, gratuitas e de qualidade; distribua renda, estimulando a geração de emprego; ofereça um transporte público de qualidade; garanta assistência social e um meio ambiente equilibrado”, emenda. No evento, Sidninho fez um afago no vice-prefeito Bruno Reis (DEM), que é pré-candidato a prefeito de Salvador com apoio de ACM Neto. “Mata Escura vem se transformando, vem criando uma força porque tem líder, tem representante e porque tem gestor. Prefeito ACM Neto, o senhor está de parabéns. Bruno Reis, eu tenho certeza que o seu futuro é brilhante, porque Mata Escura é só uma pequena demonstração do que vem acontecendo na cidade”, declarou, em discurso.

Bacelar criticou os vereadores por passarem a sessão da Câmara de anteontem discutindo o assunto. “É um mimimi da política. O que é mais importante discutir: isso ou a reforma da Previdência municipal? Ou a situação dos ambulantes do carnaval? Ou discutir a criminalização da pobreza em Salvador?”, ressaltou Bacelar, que é pré-candidato a prefeito da capital baiana.

O deputado federal, que já pertenceu ao grupo de ACM Neto, descartou qualquer possibilidade de voltar. “É uma tentativa de desgastar a minha candidatura. Eu sou o candidato da oposição que está nas ruas. Eu sou o candidato da oposição que enfrenta ACM Neto. Eu sou o candidato da oposição que denuncia as mazelas da cidade de Salvador”, frisou.

Sobre a definição do seu vice, Bacelar afirmou que deve ocorrer em junho. Segundo ele, o nome pode sair do bloco formado com o PP e PSD. Perguntado sobre o que pensa de Eleusa Coronel (PSD), que é esposa do senador Angelo Coronel (PSD), para sua vice, Bacelar disse que seria um “excelente nome”.

Compartilhar