Militares da Aviação do Exército prosseguem no apoio ao trabalho das equipes do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, de brigadistas do ICMBIO e de voluntários para conter as chamas na Área de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira, no local conhecido como Serra Fina, na divisa entre os estados de São Paulo e Minas Gerais.

Logo no início do combate, foi feito um voo com o intuito de monitorar e reconhecer a área atingida, além de definir as estratégias do dia. As aeronaves da Aviação do Exército ajudam também a aumentar a capacidade de infiltração e exfiltração das equipes de brigadistas nas regiões de difícil acesso, onde ocorrem alguns dos focos de incêndio.

Na segunda-feira, dia 20 de julho, as ações de combate ao incêndio ocorreram desde as 4 horas da manhã, quando a temperatura na serra chegou a -3ºC. Com trabalho árduo e dedicação, o foco principal do incêndio foi debelado na Pedra da Mina. Desse modo, as equipes permanecem no local, realizando o controle e o monitoramento dos pequenos focos de incêndio, que poderão entrar em reignição.

Usualmente, entre os meses de julho e outubro, são registrados vários focos de queimadas em Minas Gerais. A principal causa é o período de estiagem e o tipo de vegetação existente no estado. Além de trazer prejuízos ao meio ambiente, a seca também provoca impactos na sociedade, em especial na saúde pública. Estima-se que foram queimados 490 hectares, o equivalente a uma área de 490 campos de futebol.

Compartilhar