A ordem de serviço para construção da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) no município de Barreiras, no oeste da Bahia, foi assinada pelo secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, nesta segunda-feira (10). A unidade será referência para 36 cidades da região, abrangendo cerca de 1 milhão de habitantes.

O investimento em obras é de mais de R$ 16,7 milhões, com uma intervenção superior a 2,6 mil metros quadrados, e prazo de execução de 12 meses. Outros R$ 16 milhões serão investidos em equipamentos de ponta, a exemplo de um acelerador linear.

“Este é mais um passo no fortalecimento da saúde pública na Bahia, com a ampliação e descentralização de serviços de alta complexidade. Os pacientes oncológicos da região oeste terão serviços como quimioterapia, cirurgia oncológica, além de radioterapia”, afirmou Vilas-Boas.

Ainda segundo o secretário, “a construção da Unacon, que estará localizada ao lado do Hospital do Oeste, evitará que pacientes oncológicos tenham que se deslocar, por exemplo, de Barreiras para Salvador, percorrendo mais de 800 quilômetros a fim de realizar o tratamento”.

Os municípios contemplados com o serviço de oncologia são: Angical, Baianópolis, Barra, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brejolândia, Brotas de Macaúbas, Buritirama, Canápolis, Catolândia, Cocos, Coribe, Correntina, Cotegipe, Cristópolis, Formosa do Rio Preto, Ibotirama, Ipupiara, Jaborandi, Luís Eduardo Magalhães, Mansidão, Morpará, Muquém de São Francisco, Oliveira dos Brejinhos, Paratinga, Riachão das Neves, Santa Maria da Vitória, Santa Rita de Cássia, Santana, São Desidério, São Félix do Coribe, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Sítio do Mato, Tabocas do Brejo Velho e Wanderley.

Hospital do Oeste

Esta é a terceira etapa do projeto de ampliação da unidade, que contempla ainda 36 novos leitos, distribuídos da seguinte forma: 20 novos leitos de UTI adulto, três leitos de UTI Neonatal, dez leitos de quimioterapia e três leitos no Centro Obstétrico.

Na primeira fase foram construídos dois blocos de enfermarias com 62 leitos, que foi entregue em fevereiro deste ano. A segunda etapa, que ainda encontra-se em execução, prevê a implantação da hemodinâmica e construção de um novo necrotério.

Compartilhar