A Argentina anunciou que em breve iniciará o primeiro projeto de produção em série do avião de treinamento IA-63 Pampa III na Fábrica Argentina de Aviões.

O Ministério da Defesa informou que o país começará a construção do avião de treinamento IA-100, apelidado de Malvina em homenagem às ilhas do Atlântico Sul disputadas com o Reino Unido.

Mirta Iriondo, diretora da Fadea, afirmou à Sputnik Mundo o projeto retoma um programa iniciado entre 2014 e 2015, que foi suspenso em 2016 pelo Ministério da Defesa durante a gestão de Maurício Macri (2015-2019).

“Com o início da nova gestão, a Força Aérea fez o pedido operacional. A partir daí, começamos a preparar um cronograma para avançar no desenvolvimento de um protótipo e na fabricação de moldes, porém tivemos que esperar que o orçamento nacional fosse votado em outubro. O Ministério da Defesa propôs que o Instituto de Apoio Financeiro estaria disposto a investir para poder iniciar a parte de engenharia e os requisitos do projeto inicial”, contou.

Durante o anúncio oficial, o ministro da Defesa, Agustín Rossi, destacou que se trata de “um investimento mais rentável do que depositar o dinheiro em um prazo fixo em dólares, além de permitir o fortalecimento da indústria e aumentar os postos de trabalho”.

“A Força Aérea está muito entusiasmada. Este é um avião que tem um trem de pouso retrátil e motor acrobático, para praticar parafuso, e tem algo que a Escola de Aviação achou muito interessante que são os dois lugares, um para o piloto e outro para o piloto em instrução, e um lugar atrás para um terceiro assento, caso haja navegação”, comentou Iriondo.

A aeronave tem baixo custo de aquisição e operação, além de suporte logístico por 30 anos. Nesse sentido, o projeto prevê uma possível adaptação, com a possibilidade de crescimento, criando uma versão de quatro lugares.

“Até o final do ano teremos avançado na fabricação dos moldes e começaremos a construção do protótipo em abril, maio de 2021”, indicou.

A linha de produção deverá ser iniciada em 2023, com o desenvolvimento de quatro aviões, sendo este número elevado gradualmente em 2024 e 2025.

Compartilhar