O terreno onde funcionava um camping ecológico na região de Itapuã foi desapropriado na manhã desta quarta-feira (24). Localizada nas proximidades da Avenida Mãe Stella de Oxóssi, em Stella Maris, a área é alvo de ação de desapropriação movida pela prefeitura de Salvador contra a Associação dos Campistas de Salvador. De acordo com informações da Justiça Federal, a desapropriação foi autorizada em audiência realizada no último dia 3.

(Foto: Marina Silva)

De acordo com informações da prefeitura, a reintegração de posse ocorreu de forma pacífica e contou com a participação de 60 agentes das polícias, da Guarda Municipal, do Ministério Público da Bahia, Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador), das secretarias municipais de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur), Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) e Ordem Pública (Semop), além da Embasa e da Coelba.

As 18 famílias que estavam instaladas no local tiveram que deixar suas casas. Ainda segundo o município, as ocupações eram irregulares e as famílias viviam de forma improvisada em veículos, barracas e estruturas de alvenaria. A prefeitura informou ainda que, apenas duas das 18 famílias, ainda permaneciam no terreno no momento da desapropriação.

(Foto: Marina Silva)

“Essas duas famílias, no entanto, não aceitaram acolhimento provisório e estão em residência de parentes até a liberação do Aluguel Social, que deve ocorrer em um prazo de 10 dias. O valor é de R$300 mensais. Elas também foram encaminhadas para acompanhamento e oferta de benefícios e serviços socioassistenciais no Centro de Referência da Assistência Social (Cras) de Itapuã”, diz a nota.

Compartilhar