Pouco tempo depois de começar a vender farinha em semáforos de Salvador para pagar mensalidades atrasadas da faculdade da filha, seu José Pereira trocou a preocupação pela alegria. Em entrevista à TV Bahia, nesta quinta-feira (27), ele afirmou que conseguiu sanar as dívidas e que a jovem já não tem mais pendências com a instituição.
“Isso, com certeza, foi uma inspiração divina. O divino Espírito Santo nos norteou para que fizéssemos essa iniciativa. Muita oração. Através delas, nós conseguimos colocar isso em prática e tivemos êxito”, disse.

Ele conta que tudo ocorreu por causa da fé que ele tem em Deus.
“Foi através da nossa fé em Deus. Muita oração. Veementemente conseguimos. Obrigado senhor. Obrigado aos irmãos em cristo”, contou.

Ele disse também que as reações das pessoas quando ele começou a vender farinha foram muito boas.
“As reações das pessoas foram as melhores possíveis. Solidariedade. Me ajudaram e nós obtivemos êxito”, falou.

Além dele, a filha também agradeceu através de uma mensagem de texto. Ela falou que o momento ficará marcado para sempre. “Quando essa situação turbulenta passar, vocês serão lembrados para sempre, como o sol que nos acorda na manhã após uma noite de chuva”.

Seu José, que é ex-professor de gramática e funcionário público aposentado, começou a vender farinha depois que as mensalidades do último semestre da faculdade de economia, em São Paulo, que a filha cursa, atrasaram.

A despesa era de R$ 6.900. Ele tinha um pequeno negócio, um mercadinho, que acabou fechando por causa das dificuldades provocadas pela pandemia do novo coronavírus.

Após o aumento das despesas em casa com a pandemia, o aposentado perdeu o mercadinho que ajudava a custear as prestações da universidade da filha. Depois de todo esforço, ele conseguiu arrecadar a quantia.

A filha dele, que tem 22 anos, já conseguiu se rematricular nas disciplinas.

Compartilhar