A Secretaria da Educação da Bahia fez um acordo com professores e estudantes, na tarde desta segunda-feira (26), e garantiu a realização de encontros com as comunidades escolares das unidades da rede estadual que poderão ser fechadas.

A decisão foi tomada durante reunião realizada na sede da Secretaria da Educação, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). O encontro contou com a participação de gestores da pasta, representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado (APLB) e dos estudantes.

De acordo com a Secretaria de Educação, durante os encontros nas escolas, serão discutido o plano de reestruturação da rede escolar, que prevê o fechamento de algumas unidades do ensino fundamental e transferência de outras para a rede municipal. As visitas ainda não foram agendadas.

Professores da rede estadual protestam contra possível fechamento de escolas, no CAB — Foto: Camila Oliveira/TV Bahia

Professores da rede estadual protestam contra possível fechamento de escolas, no CAB — Foto: Camila Oliveira/TV Bahia

Durante o dia, professores e estudantes realizaram manifestações em alguns pontos de Salvador. Uma delas ocorreu em frente à sede da Secretaria da Educação. Os docentes temem serem demitidos. Os estudantes protestam contra a transferência para outras escolas.

Em nota, a Secretaria da Educação informou que garante o atendimento a todos os estudantes do Ensino Médio nas escolas estaduais da Bahia e, conforme determina o artigo n° 10 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) n° 9.394/1996, assegura o Ensino Fundamental a partir da colaboração com os municípios.

Caso

Centro Estadual de Educação Magalhães Neto (Cea), em Salvador, é uma das unidades que poderão ser fechadas  — Foto: Reprodução/TV Bahia

Centro Estadual de Educação Magalhães Neto (Cea), em Salvador, é uma das unidades que poderão ser fechadas — Foto: Reprodução/TV Bahia

A Secretaria da Educação da Bahia anunciou o fechamento das escolas na última semana. Além de Salvador, Feira de Santana, que fica a cerca de 100 km da capital, e Itabuna, no sul do estado, entre outras cidades, terão unidades afetadas.

Ainda não há o número exato de quantas escolas serão fechadas. Algumas delas passarão a ser responsabilidade das prefeituras, como prevê as Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Segundo a Secretaria da Educação, as mudanças fazem parte de um reordenamento da rede.

Compartilhar