Em reta final de Campeonato Brasileiro, o Bahia tem enfrentado batalhas dentro e fora de campo. Enquanto luta para se livrar o quanto antes do risco de rebaixamento à Série B, o tricolor também tenta evitar perda de atletas, seja por lesões, cartões ou infecções por covid-19.

Desde o início de 2021, pelo menos cinco jogadores do elenco tricolor foram diagnosticados com a doença. Além do período de isolamento que precisam cumprir, previsto no protocolo estabelecido pela CBF, alguns atletas demandam podem demandar um pouco mais de tempo para recuperar a forma física.

“Fiquei quase 15 dias sem poder treinar. No início, por suspeita de Covid, tive que ficar afastado, mas os exames davam negativo. Depois, acabou dando positivo e aí tive que cumprir as determinações. Então, acabou sendo um tempo longo fora, sem contato com o grupo, e só de atividades em casa. É difícil, porque o corpo acaba perdendo, então perdi um pouco de massa e consequentemente de força, o que atrapalha muito e só com os treinos específicos para poder voltar”, conta dele.

Por conta recuperação, Clayson até ficou no banco contra o Vasco, mas acabou ficando fora da partida com o Fluminense para focar na preparação.

“Como ainda estou em processo de recuperação e evolução física, vou trabalhar fortemente e dar meu melhor, com mais intensidade no dia a dia. Estamos em um momento que todos precisam dar tudo e estar 100% para competir. Assim, poderei retomar o meu melhor para ajudar o Bahia nesta reta final”, disse ele.

“Tenho trabalhado à parte no CT e também em casa, com um personal que já me ajudou durante a quarentena, por vídeo chamada. Quero estar bem para voltar, pois neste momento precisamos de todos nas melhores condições para esses últimos jogos decisivos”, finalizou Clayson.

Com 36 pontos, o Bahia é o atual 15º colocado do Brasileirão, a apenas um ponto do Sport, primeiro time na zona de rebaixamento. Neste sábado (6), o Esquadrão enfrenta o Goiás, às 19h, na Fonte Nova.

Compartilhar