O secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas criticou na manhã desta segunda-feira (15), em participação no Jornal da Manhã, as pessoas que não estão seguindo as recomendações e formando aglomerações no estado. No Farol da Barra, na orla de Salvador, várias pessoas ocuparam o calçadão para passeios e exercícios físicos, no domingo (14). Além disso, uma festa com aproximadamente 100 pessoas foi promovida na região da Estrada Velha do Aeroporto, também na capital baiana.

“Isso é inadmissível. É uma demonstração de irresponsabilidade e, sobretudo, de egoísmo de cada uma dessas pessoas que se envolveu nessas ações. Elas estão preocupadas apenas em satisfazer seus prazeres e não estão preocupadas nem um pouco com a coletividade. Para derrubarmos a taxa de progressão da doença, é preciso tanto que a pessoa evite contaminar a outra quanto a outra pessoa evite ser contaminada. Quando a gente coloca pessoas dentro de uma área, com alta concentração dentro de uma área, como em festas, como o que ocorreu no Farol da Barra, há a chance das pessoas serem contagiadas e outras contagiarem terceiros”

“É lamentável que a gente veja esse tipo de coisa acontecer em toda a Bahia. Rogamos para que o poder público municipal, as autoridades policiais, utilizem dos métodos de repressão para acabar com esse tipo de situação”, completou o secretário.

De acordo com o último boletim da Secretaria de Saúde do estado (Sesab), divulgado na tarde do último domingo (14), a Bahia possui 36.401 casos confirmados de coronavírus, com 1.105 mortes. Fábio Vilas-Boas pontuou que, até o momento, a taxa de óbitos por dia está estagnada, enquanto o crescimento no número de novos infectados é de 4,5% a cada 24 horas.

“Nós estamos estáveis em número de óbitos por dia. Esse é um dos indicadores importantes que estamos acompanhando. Associado a um crescimento que está estagnado em torno de 4,5%, mas é um crescimento. É um crescimento que a cada 10 dias aumenta em 50% o número de casos, o que faz com que todos os meses a gente dobre o número de casos. Mas o número de óbitos por dia parado já há mais de duas semanas, indo para três, faz com que a taxa de letalidade se mantenha baixa, o que é uma coisa boa, está indicando que estamos conseguindo absorver a demanda de internação hospitalar”.

Na Bahia, dos 2082 leitos disponíveis do Sistema Único de Saúde (SUS) exclusivos para coronavírus, 1298 possuem pacientes internados, o que representa uma taxa de ocupação de 62%. No que se refere aos leitos de UTI adulto e pediátrico, dos 866 leitos exclusivos para o coronavírus, 665 possuem pacientes internados, compreendendo uma taxa de ocupação de 77%.

Nesta segunda-feira, o Hospital de Campanha de Teixeira de Freitas, no extremo sul, começará a receber pacientes.

Fábio Vilas-Boas apontou que o platô de novos casos de coronavírus deve ser alcançado no fim de junho e se estender por duas ou três semanas. Para que a projeção seja alcançada, o secretário fez um apelo para que as aglomerações do último fim de semana não se repitam.

“Quero pedir, reforçar, encarecidamente o apelo a toda a população, de Salvador, Feira, Itabuna, Ilhéus, toda a Bahia. Que tente fazer um esforço adicional de ficar um pouco mais de tempo em casa. Sair apenas para fazer as atividades mais importantes, como adquirir alimentos, buscar remédios, ir ao banco. Nesse finalzinho, já nos sacrificamos por mais de 90 dias, um pouco mais de sacrifício para a gente conseguir atingir o tão esperado platô e observarmos a queda no número de casos. Vamos ficar em casa um pouco mais de tempo”.

Compartilhar