O retorno do Bahia ao Campeonato Baiano foi com derrota para o Atlético de Alagoinhas. Na tarde desta quinta-feira, no estádio de Pituaçu, o Tricolor falhou nas poucas oportunidades que teve – entre elas um pênalti – e não conseguiu reagir ao gol de Magno Alves no início do segundo tempo. Derrota por 1 a 0 que custou ao time a liderança da competição. 

Na análise após a partida, o técnico Roger Machado reconheceu que foi um jogo de poucas oportunidades de gols e destacou o sistema defensivo do adversário.

– Poucas oportunidades se devem a um adversário bem posicionado defensivamente. Tirou espaço e tentava contra-atacar em velocidade. As oportunidades que criamos foram em profundidade pelos lados. Mas em uma defesa bem posicionada a gente não conseguiu muita oportunidade. Foi um jogo de poucas oportunidades em função do estilo de jogo do adversário.

Roger Machado enalteceu posição do Atlético de Alagoinhas contra o Bahia — Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação

Roger Machado enalteceu posição do Atlético de Alagoinhas contra o Bahia — Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação

O desempenho do jogo desta quinta contrasta com o rendimento apresentado pelo grupo principal na última quarta-feira, quando venceu o Náutico por 4 a 1 pela Copa do Nordeste. Para Roger, não é possível fazer uma comparação entre as duas equipes em situações distintas.

– Elenco deve ser avaliado pela dificuldade de cada jogo, encaixe do jogo em dois dias distintos. Escalações e alternativas motivadas por aqueles que estiveram no campo no dia anterior, para dar ritmo para alguns jogadores que a gente entendia que era necessário. Não dá para avaliar dois eventos distintos pela mesma perspectiva.

Bahia foi derrotado pelo Atlético de Alagoinhas — Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação

Bahia foi derrotado pelo Atlético de Alagoinhas — Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia/Divulgação

– É difícil comparar dois eventos diferentes. A forma do adversário de ontem, que buscava a vitória, nos deu espaço, que aproveitamos. Hoje o adversário buscou um bloco mais baixo, pouco espaço. O jogo foi rápido, só não teve a agilidade de ontem em função de momentos diferentes, estratégias diferentes, eventos diferentes – completou o técnico.

Com a derrota, o Bahia caiu para a segunda posição, com 15 pontos e ainda não tem classificação garantida para as semifinais do Baianão. Na última rodada da fase classificatória, o Tricolor enfrenta o Fluminense de Feira novamente em Pituaçu.

Veja outros pontos da entrevista de Roger Machado

Distância entre os atacantes
– Distanciamento do ponto de vista quando a gente estava marcando pressão no campo adversário. Marco Antônio e Caíque distantes. Isso estava dificultando a gente marcar. Com a bola rolou aproximação.

Edson e Ramon
– A opção foi colocar aqueles que na hierarquia do grupo principal estavam à frente. Jogadores eram opção para determinado momento da partida. Foi por opção técnica e tática da gestão do grupo de trabalho que tenho.

Compartilhar