Por Bruna de Pieri – Terça Livre

O advogado da campanha do presidente norte-americano, Donald Trump enviou à CNN uma notificação advertindo da possibilidade de entrar com uma ação judicial contra a rede.

Em carta, Charles Harder aponta que a CNN estaria violando a Lei Lanham, que rege o uso de marcas registradas e publicidade falsa.

O advogado tem como base o trabalho desenvolvido pelo Projeto Veritas, que recentemente publicou vídeo que mostra o CEO da CNN ordenando que todas as ações do canal sejam voltadas para impeachment de Donald Trump. No vídeo, os jornalistas da emissora confessam viés e fake news em todos os níveis da organização.

“Seus próprios funcionários parecem afirmar que a CNN está focada em tentar derrubar o presidente Trump, impulsionada por uma ‘vingança pessoal’ que Zucker supostamente tem contra ele, em vez de relatar as notícias de maneira objetiva”, escreve Harder. Jeff Zucker é o presidente da Rede.

E acrescenta:

“Na filmagem, seus funcionários parecem afirmar que a CNN tenta fazer com que suas notícias pareçam neutras e imparciais, quando na verdade estão longe de ser neutras e são altamente tendenciosas contra o presidente”.

A defesa de Trump também pede informações que possam justificar o posicionamento da CNN, exposto pelo Projeto Veritas.

“Nunca na história deste país, um presidente foi alvo de uma série de ataques tão injustos, infundados, antiéticos e ilegais por parte de um presidente tão chamou a notícia ‘mainstream’, como a situação atual”, aponta.

Harder convida a empresa para uma negociação, mas adverte de que se não houver acordo, irá propor ação indenizatória de “valor substancial”.

A CNN rebateu a carta e disse que isso não passa de “um golpe desesperado de relações públicas e não merece uma resposta”.

Michael Glassner

@michaelglassner

See letter by attorney Charles Harder sent to @CNN President Jeff Zucker and EVP David Vigilante on behalf of Donald J. Trump for President, Inc.

Ver imagem no TwitterVer imagem no TwitterVer imagem no TwitterVer imagem no Twitter
6.537 pessoas estão falando sobre isso
Compartilhar